Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Tema do Mês de Setembro: Amores de Minha Vida

.
.
Caríssimos amigos:
.
.
Hoje foram postados os textos referentes ao tema do mês de setembro: “Amores de Minha Vida”,
vencedor da enquete de fevereiro.
.
.
.
Participantes:
.
.
Aaron Caronte Badiz
.
.
.
.
Ana
.
.
Dália Negra
.
.
Lélia
.
.
.
(blog de conteúdo adulto)
.
.
Soraya Rocha
.
.
.
.
.
.
.
.
Muito obrigado a todos que colaboraram com esta “blogagem coletiva”!
.
.
Um grande abraço!
.
.

Post Inesquecível do Duelos - Indicado por Ana

Este post do Duelos é, para mim, absolutamente inesquecível!... Com muita frequência eu me pego lembrando dele e sorrindo. Foi brilhante, Alba! Mil vezes parabéns!
.
.
.
PAIXÃO
(ALBA VIEIRA)

Olhando-te a cada dia,
Cismo, a pensar,
No bem que me fazes
Por simplesmente existir;
Em todas as delícias
Que me permites criar;
Como, tão harmoniosamente,
Limitas as doçuras que desejo,
Fazendo-as tão belas e delicadas.
No espaço da casa que mais amo,
És aquela que me atrai.

Por isso sempre repito
O que representas para mim...
Eu te amo de paixão,
Minha forma de pudim!
.
.
Visitem Alba Vieira
.

O Amor em Minha Vida - por Aaron Caronte Badiz

O amor surgiu, em minha vida, como uma mulher tímida, meio menina e muito amiga.
Da segunda vez, surpreendeu-me na forma de uma mulher apaixonada, intensa, romântica e linda.
Da terceira vez, brindou-me com uma mulher firme nas palavras, sincera e fugaz.
Por fim, fui presenteado com uma mulher livre, dona de si, independente e extremamente interessante.

Estes foram os amores de minha vida, que nesses 30 anos me surgiram, surpreenderam, brindaram e presentearam na forma de uma única pessoa: minha eterna e sempre amada que, desde o nosso primeiro encontro, soube que era tão destinada a mim quanto eu a ela.
Eu te amo hoje mais que sempre... e para sempre.
.

Amores - por Adhemar

Meu primeiro amor foi Célia.
Tão bonita e fascinante...
Porém era mais velha
Me decepcionou por ser fumante.

Meu segundo amor – Marcela –
Que de tão platônico pereceu,
Era muito superior, tão bela,
Que a este admirador nem percebeu!

Bem mais tarde, Ana Paola foi paixão.
Dessas terríveis, avassaladora.
Até hoje, em meu coração,
Esse sentimento ainda ecoa.

Outra ilusão desse tempo – Iracema –
Era musa atraente e sedutora.
No entanto, um obstáculo, um problema:
De uma legião de fãs era pastora.

A seguir surgiu-me Lígia
Pra me socorrer numa tristeza;
Mas ao perceber-me já fugia,
Pois era eu plebeu, ela princesa.

O meu amor maduro foi Monique,
O que na mocidade mais durou.
Porém, malgrado meu, era tão chique,
Que de mim um dia se cansou.

Então, Cláudia surgiu e surpreendeu,
Apanhando-me desprevenido e sem jeito.
Mas meu coração não respondeu
Fugindo desse afeto com respeito.

Em Ilhéus, a noiva de um fazendeiro,
– Também Cláudia, com todas as letras –
Foi como incursão num picadeiro
E ensinou-me a andar sem as muletas.

Num entretempo, outra Monique conheci,
Vinda dos confins de Mato Grosso.
Tão bacana e tão cheia de si...
Mas era tão menina e eu já moço...

Enfeitiçou-me a seguir a Bernardete
Estabelecendo um condomínio.
Mas era apenas uma professora breve
Transformando o poeta em peregrino.

Elaine Cristina então a sucedeu
Tão linda e luminosa que nem sei.
O papel de príncipe me deu,
Mas ela precisava era de um rei.

E ao final de todo esse aprendizado
Veio Stella, linda e firme se instalou.
O grande amor do homem já formado,
Grande mulher que ao homem completou.


Um imenso e verdadeiro desafio
Para toda a vida se tornou.
Passou pela paixão, pelo calor e pelo frio,
E que docemente triunfou.

Mais que amor, uma profissão de fé.
Mais que amor, a tranquila confiança.
Mais que amor, é um grande lar em pé.
Mais que amor, somos nós e três crianças...
P/SM
.
.
.
Visitem Adhemar
.

A Menina e a Prova Difícil - por Adir Vieira


Todos os dias, o mesmo ritual se dá.
Sempre no mesmo horário, o ônibus escolar para rente à calçada e a fiscal aguarda pelo menos uns três minutos para que ela, com toda a calma aparente, se desprenda do cinto de segurança e caminhe pelo corredor, como se fora uma passarela, portando sua pesada mochila e o inseparável casaco, faça frio ou não. Sinto que o agasalho, para ela, substitui, naquele trajeto, o abraço caloroso da mãe a protegê-la.
Desce enfim do ônibus e com um sorriso enigmático, tal qual o da Monalisa, encaminha-se para a tia que, ignorando o fato de ela ser uma quase adolescente, recepciona-a com todos os “inhos”, agora tão impróprios para a sua idade.
Livre dos vizinhos e agora já dentro do elevador, ela faz a pergunta principal do dia, tentando adivinhar o que terá para o almoço, sua preocupação permanente, já que tem ordens expressas do pai para não exagerar nas gulodices impeditivas de uma boa saúde.
Hoje, no entanto, desde as primeiras horas da manhã, a tia não consegue esquecer que “aquela nota da prova” tão necessária para que ela permaneça na média, já que escorregou feio na prova anterior, seria divulgada pela professora.
A tia, hábil que é, e não querendo feri-la, na possibilidade de um resultado negativo, espera o melhor momento para inquiri-la e ela, esperta que é, finge não perceber a ansiedade da tia, parecendo saborear aquela vitória sagaz.
A menina entra em casa, troca de roupa, senta-se à mesa para o almoço e ambas caladas, vivem situações diversas em pensamento.
A menina sorri internamente esperando o primeiro passo da tia.
A tia, já visivelmente ansiosa, não desvia os olhos da menina, em busca de qualquer informação a respeito do resultado da prova.
O imediatismo da menina, no entanto, não permite alongar aquela situação e, de pronto, sai da mesa e saca da mochila a prova tão esperada, exibindo 84 pontos.
A sapiência da tia vai a zero quando a menina, com a sua docilidade, pergunta à tia porque ela não quis saber a nota, logo que ela chegou, enfatizando que se tivesse se dado mal, alguma coisa ia ter que fazer para melhorar!!!
Bela forma de viver das crianças. Livres de tudo!
.
.
.
Visitem Adir Vieira
.

Os Amores da Minha Vida - por Alba Vieira

São tantos que listá-los seria tarefa interminável, uma vez que eu sou uma eterna apaixonada pela vida e pelas energias que fazem parte dela. Assim, família, amores, amigos, animais, pedras, plantas, lugares, objetos de arte, coisinhas variadas representam um lugar especial na minha vida.
Naturalmente que existe uma hierarquia nesta galeria, que há seres especialíssimos com lugar cativo e que só não arrebentam meu coração, já quase sem espaço pra abrigá-los, porque o que sinto por cada um deles é capaz de energizar a tal ponto meu chakra cardíaco que provoca imediatamente uma grande expansão na capacidade do meu coração.
É que o amor é um sentimento esquisito demais, tão estranho que por conta dele contrariamos todas as verdades cartesianas e ingressamos num mundo novo, livre das leis espaço-temporais e pleno de milagres. Por conta do amor, um mero artefato sem importância material adquire significados insondáveis para aqueles cuja alma é livre e amorosa. Sou capaz de amar por muitas razões, por sutilezas, seres desconhecidos que me impressionam pelo olhar, pelo silêncio, pelo perfume, pela voz, pelas feições, pela energia que passam ou que tomam de mim. Adoro gente, adoro plantas, bichos, pedras, águas, céu, vento, sol, vida. Adoro amar e ser amada. Mas o maior amor da minha vida sou eu mesminha.
.
.
.
Visitem Alba Vieira
.

Busca - por Ana

Quais seriam os meus amores?
Perguntei ao coração.
Ele ficou em silêncio,
Não deu uma explicação...

Então me pus a pensar...
Procurando uma resposta.
Quais seriam meus amores?
Os neurônios trancaram a porta.

Vasculhei a minha alma
(Ela, sim, há-de dizer!).
Mas não me deu uma pista
De nada! O que fazer?!

Resolvi rever minha vida,
Desde o dia em que nasci.
Fui relembrando aos poucos,
Tudo, tudo... até aqui.

Percebi, com muito espanto,
Que desde o primeiro momento
Que me entendo por gente
Não tive outro sentimento:

Fui movida por amor
Em todas as decisões,
Escolhas e atitudes,
Em família, amizades, paixões...

Realmente, esta pergunta
Não podia ser respondida!
Minha vida não tem amores:
O AMOR É MINHA VIDA!
.

Meu Avô - por Ana Lucia Timotheo da Costa

Todo sábado eu, meu pai e meu irmão íamos vê-lo. Meu pai tinha a obrigação de barbeá-lo, à navalha, e nós aproveitávamos a visita para estudar francês e matemática com uma das tias. Confesso que eu o admirava com uma certa distância. Afinal, por ser avô paterno, não privávamos de muita intimidade.

Sabia-o lido e bem informado e meninota, ainda, aquilo me encantava. Como me lembro das partidas de xadrez entre ele e o meu pai – discussões engolidas e veladas. “Pedaço-de-asno” dizia o velho, enquanto calado, meu pai não respondia.

Papai jamais usava o possessivo. Falava: “O pai”, nunca meu pai, deferência de amor e sintonia.

Com a maturidade percebi que bastante coisa era ilusória; muita contradição cabia-lhe.

Vovô, professor nato (alfabetizava adultos), tinha uma liderança imposta, ditatorial.

As filhas eram-lhe de uma obediência cega, semi-castradas. Namoro não fez parte de suas vidas.

Batia no peito a confessar-se ateu, no entanto era um sujeito de gestos de bondade.

Mamãe conta uma inacreditável passagem - O primeiro salário de meu pai (que ele achou alto), foi dividido com outro empregado, por justiça. (Muitos diziam que tinha postura marxista).

Afirmava que a morte não temia, ‘hei de enfrentá-la de frente, sem temor’. Mas um ônibus apanhou-lhe pelas costas...
.
.
.

Constatação - por Dália Negra

.
Os amores são velas vãs
Adornando, apagadas, o mar.
Solidão e ferida, irmãs,
Filhas de um mesmo penar:
Aquele que resta do fim
Do que eu quis acreditar
Existir, algum dia, pra mim,
Conjugando o verbo amar.

Os amores de minha vida
Não sei se um dia existiram...
Eu tive a alma vendida
A carinhos que possuíram
Meu corpo, desejos, sonhos,
Sorrisos, ações, ardor...
Hoje, meus olhos tristonhos
Relembram... e não veem amor.
.
.

.

Amores da Minha Vida - por Leila Dohoczki

Nas manhãs que se sucedem
Primaveras vem e vão
Deixam flores nas calçadas
Galhos oferecem a floração
Assim também sou
Feito a primavera...

Nas minhas manhãs
Nem me lembro das manhãs de outono.
Sei que elas virão,
Mas não temo que roube o espaço
Ou que fique mais tempo.

Sou capaz de compreender
Que as flores nascem
No verão, no outono e no inverno
Nascem o ano inteiro...
As flores não nascem por mim
Eu é que existo por elas,
Pelas vermelhas, lilás e amarelas
Por tudo que renasce em mim
E nunca termina.

Em mim, toda manhã nascem
Flores lindas de amor
Sou uma campina florida...

Se sou primavera,
As flores mais belas, meus filhos...

Amores da minha vida!
.
.
.

Minha Vida de Amores - por Lélia

.
Amores? Tive alguns. Com fé, com entrega, companheirismo e, sobretudo, amizade.
Guardo de cada um lembranças felizes numa caixinha no meu armário. Às vezes eu a abro e relembro momentos bons.
Os amores da minha vida foram grandes, imensos, profundos!
Pensando bem, a minha vida foi feita de amores!
.
.

Os Amores de Minha Vida - por Leo Santos

Os amores de minha vida
de alguém teriam que ser;
quanta empreitada perdida
na descoberta do não poder

de minha vida pero não meus
apenas os vi passar
por luzes que viraram breus
fugidio esse lumiar

fulguram na lembrança apenas
lousa sem apagador
retratos, combates arenas
e o destino domador.

Amores belos e outros feios,
depois, claro, vi melhor
turbam a vista esses enleios
fomentam desdita e dor

amei por motivos vários
e até sem nenhum, real;
vitimado por mercenários
a força do vil metal

mas herdei lições tantas
escola da desilusão
não foram perdidas as jantas
inda que se perdeu o coração

os amores de minha vida
apenas estágios da tal,
cicatrizes, antes, feridas
agora, textos, motes, jogral...
.
.
.
Visitem Leo Santos
.

Amores de Minha Vida - por Mellon

Não posso perder o sono por causa disso, mas eu perco. E agora não posso parar de caminhar, mas por você eu pararia. Me dê algumas horas e eu terei tudo isso resolvido. Eu teria se a minha mente somente parasse de correr por entre os amores da minha vida. Não posso suportar ser covarde, por isso não posso lutar apenas por mim, mas por todos eles. Isso não poderia estar acontecendo, não comigo que sou fraca. Isso está acima de meu olhar, mas embaixo de meus pés.

E amanhã eu não terei isso resolvido. Terei isso destruído. Porque só você consegue me fazer citar E. E. Cummings, porque “eu carrego o seu coração. Eu o carrego no meu coração”.
.
.
.
Visitem Mellon
.

(Sem Título) - por =NuNuNO== Griesbach

Pobre vítima do infortúnio o escritor frustrado, nunca antes lido por ninguém, acordou aprisionado em um grande cofre ao lado de uma pilha de papéis, com poucas horas de oxigênio para escrever suas últimas palavras.
Sem muito ar, o escritor escreve uma montanha, escreve águas calmas para um lago cheio de vida e respira o ar puro que formou-se entre suas linhas.
Solitário, escreve um bom amigo para conversar. Abraça a pequena página onde seu amigo está escrito e chora pensando nas oportunidades que perdeu de escrevê-lo antes.
O passado... Tão efêmero e comum enquanto presente, e tão eterno e maravilhoso quando só existe na memória. O escritor reescreve seu primeiro amor, escreveu para ela um pouco menos de ciúmes, um pouco mais de fidelidade e pais mais liberais. Escreveu um novo fim, onde se mudaram ao pé de uma linda montanha e, à beira de um lindo lago cristalino, beijaram-se sem pressa e respiraram ofegantes após um ato sublime do amor.
Sem mais ar para manter-se acordado, beija a folha com seu grande amor, despede-se da folha de seu amigo e mergulha na escuridão de seus próprios sonhos de felicidade, que nunca se tornaram tão possíveis antes.
Levando consigo apenas uma caneta e alguns papéis, se o paraíso não existir, irá construí-lo palavra após palavra.
.
.
(Que adorou a proposta dos duelos)
.

Sem Vergonha II - por S. Ribeiro

difícil cantar algo quando
se está de ossos quebrados
eufemismos não viverão por mim

escondem coisas de minha
juventude mal inspirada
desaprumam sentidos que não
deveriam se fundir
ao desígnio divino

chove chove chove
ele está lá fora aqui
leio florbela espanca

então nada eleito vai
chorar pirraças a um plano
mais alto com certeza
do que nós

e permanecem não nos guardando
como se a luz não ligasse mas
que alguém ligue que gosto
mesmo dos cachorros

não nos guardam

inventam concretos
espinhos mudanças sustentam
coroas com tudo que não
corresponde à pressa com
que o mundo constrói
o desejo de um jovem

não nomeio nem indico
quem porque já o sabem
o céu as pedras as árvores
a cama a loucura

espero como um mato
que não se cansa de nascer

não nos guardam
.
.
.Visitem S. Ribeiro
.
.

Os Amores de Minha Vida - por Soraya Rocha

Os amores de minha vida
São muitas coisas pequeninas
E pessoas do coração
Que vou enchendo desde menina.

São bichinhos, formas, cores,
Filmes, figuras, colagens,
Almofadas, móveis, colchas,
Corridas, canetas, imagens.

São toalhas de crochê,
Desenhos feitos a mão,
Lembranças que vêm da Bahia,
Inoã, Pato Branco, Maranhão...

São mundos dentro de mim,
Que me entornam de paixão;
São vidas no meu jardim,
Que me enchem de emoção.

Os amores de minha vida,
Eu os trago sempre comigo.
Não empresto, não vendo, não dou.
Nem pro meu melhor amigo!
.

Eu e Você. - por Thiago de Sá

Quando juntos caminharmos pela praia, que os ventos e o sol nos acariciem com que eles têm de melhor. Porque todas as vezes que eu segurar a sua mão ou te abraçar, será sempre o melhor de mim que ali vai estar. Quando eu te beijar vou celebrar sempre tudo o que temos de bom, vou celebrar o nosso amor, que somente cresce e nos embriaga com sua melodia doce e meiga. Amor que não podemos explicar… Olhando bem! Pra que explicar aquilo que nos envolve, aquilo que sentimos! Celebre ao meu lado o que temos de mais perfeito, alegria, amor, a dor se preciso for. Fica comigo em todos os momentos, porque tudo o que tenho quer ser seu.
.
.
.
Visitem Thiago de Sá
.

Calmo... - por Vera Celms

Amo a calma do seu amor,
Temperado, ardido, louco,
Dosado
Com a temperatura elevada na medida certa,
Mãos que acariciam,
Sentem, vasculham e exploram
Bem dentro, bem longe, bem em mim,
Alcance perfeito,
Ponto ideal,
Meio termo entre a levitação e a loucura,
Entregue as suas mãos,
ao seu corpo,
no profundo do seu abraço,
visão do paraíso completo,
Escalo o pico do meu prazer,
agarrada como uma alpinista,
medida exata,
Só precisava de mais tempo,
transcenderia várias vezes,
entre o êxtase e o nirvana,
Quero que me queira,
Tanto, tudo, e mais... muito mais...
Movimentos precisos para o deleite,
Soltos como a lembrança,
Como a saudade,
Como o desejo,
Como a necessidade de ficar mais um pouco,
De esquecer do resto,
De relevar a vida além de nós,
Amo a calma do seu amor,
Avisando o momento, num sussurro,
Preparando a flor da minha pele pra receber,
O que o seu corpo tanto guardou,
Tanto preparou,
Quero voltar as suas mãos,
Ter você além do sonho,
Além da miragem,
Além da aragem que passa pela porta,
Que atravessa meus cabelos,
Meu alvo dorso,
Trazendo seu cheiro,
A minha saudade,
Lembrando com gestos,
A medida do seu amor,
Liso, brilhante, majestoso,
Perfeito...
E meu... pela duração de um momento,
Ou de toda a eternidade...
.
.

.Visitem Vera Celms
.
.

Parabéns, vestivermelho!

.
.
.
.

Amores de Minha Vida... - por vestivermelho

Guardo lembranças do meu primeiro amor, como sempre platônico... rs
Um deles, tive tantos... mas esse foi interessante porque estava já ficando mocinha...
Brincava sempre em um lugar perto de casa, onde se reuniam as meninadas, umas mais velhas, outras de minha idade e as novinhas... sempre ficava com as mais velhas...
Os meninos eram malcriados, sempre puxando o cabelo das meninas... o meu nunca deixei, olhava feio quem chegava perto de mim... rsrsrs.
Mas tinha um em especial, era todo cheio de se apresentar... na brincadeira de correr ele sempre ganhava, na de se esconder também e o que mais gostava de ver era a ....
Corrida de carrinho de rolimã, ficava fascinada em ver ele fazer a curva lá no fim da ladeira... sempre estava à espera de ele me convidar para andar no carona, é claro. Mas sempre a menina mais bonita que ele convidava.
Depois de um tempo percebi que ele a chamava não pela beleza, mas era atirada , envolvente e simpática...
Comecei a olhar como ela agia e tentei diversas vezes copiar... mas sempre saía mal... quando pensava em chegar perto, ele saía. Sempre andei com short e camiseta, usei aparelho... que coisa ridícula... mas usei... rsrs Como ser atirada, envolvente e simpática? Rsrs
Bem, desisti, olhava ele e pensei... vou tentar algo...
Usei meu mais lindo vestido, amarelo com bolinhas brancas, meus cabelos amarrados em um rabo de cavalo e um sapatinho... desses sinceramente... ridículos... rsrs mas todas as meninas usavam... aqueles com um lacinho enfeitando...
Cheguei balançando meu rabo de cavalo... mas como sempre ele nem olhou para o meu lado, estava arrumando a lindinha no carrinho... aiaiaiai
Mas não desisti, continuei ali parada.
Ouvi:
- Hei garota do vestido de bolinha... quer dar uma volta?
Olhei. Era o menino que tinha o carrinho mais feio, eu achava... nunca deu carona para nenhuma menina... ou nunca convidou ou era porque o carrinho era feio. rsrs
Resolvi aceitar. Depois de me arrumar para uma volta de carrinho... porque não ir?
Ele me arrumou no carrinho tão delicadamente que me senti uma princesa...
Não andamos de carrinho, voamos! rsrs Senti tanta emoção que me agarrei nele. E senti muita proteção.
Depois, quando chegamos no final ele me disse:
- Amanhã venha com seu shortinho que será melhor...
Depois crescemos e mudamos completamente,
Cada um para seu lado e novas meninadas apareceram... guardo boa recordação... desse tempo
Passados alguns anos, já adolescente... frequentava mais bailinhos e encontros à noite para conversar... sem nada de carrinhos e esconderijos...
Quando cheguei em um desses encontros, percebi um menino novo... sem graça, com roupas esquisitas e cabelo todo arrumadinho.
Ele me disse:
- Você é a menina do shortinho?
- Shortinho?
- Sim, a namoradinha do feioso?
Como nunca tinha visto o lindo do carrinho que tanto me encantava... de perto, só de longe... rs não reconheci o meu amor platônico, pensei: ainda bem que foi amor platônico.
- Sim, sou ela.
- Ficou mais bonita do que era.
- Obrigada
E olhei para a porta. aiaiaiai... meu coração bateu
Tum tum tum
Era meu amor chegando
Todo lindo, com aquela maneira de chegar chegando
Não se importando com maneiras finas, mas tão educado e amoroso comigo que aiaiaiai...
Pensei como foi bom aceitar dar uma volta de carrinho de rolimã do feioso... rsrs
.
.
.
Visitem vestivermelho
.

Pequeno Príncipe - por Yuri

Quando estávamos em seu quarto tínhamos debaixo de nossa pele essa merda de fogo
em um país onde houvesse apenas maravilhas
mas quando saíamos de lá
sentíamos falta dos pensamentos de contos de fadas que ficavam dentro
eu quero voltar, eu preciso voltar, não posso mais me enganar sobre você
porque eu gostei
quando estávamos em seu pequeno mundo
pensávamos que voar seria fácil e real
quando pensamos em contos de fadas, pensamos em “Pra sempre”
você achava, eu achava
que o silêncio era igual a nada
mas realmente ele pode doer, cuidado
suas atitudes falam mais que qualquer coisa que você possa dizer
e aqui não é um conto de fadas
você pode ser salvo
meu pequeno... pequeno... meu pequeno príncipe
nem sempre eu sou quem eu quero ser
mas eu posso tentar
ninguém nunca havia acertado quando olhava em meus olhos
e descobria um pouco do que existe aqui dentro
em meu espelho da alma levo seu sorriso junto
eu sinto medo, arrepio, ignorado mesmo quando não sou
você sabia a cor que transmitia, o que significava por dentro
mas você sabia que a qualquer hora eu poderia ir ou ficar
eu não queria sentir o barulho de meus pedaços caindo no chão frio novamente
eu já te disse que você não precisa
você pode se salvar
mesmo sempre sendo meu príncipe
meu pequeno... meu pequeno... pequeno príncipe
sabíamos que isso poderia ser quebrado a qualquer dia
e eu só esperava chegar a algum lugar
sabia que não me sentiria perdido
mas você falhou. nós falhamos
e eu prometi para mim mesmo parar de tentar quando percebesse uma falha, mesmo do destino
e tentar de novo
mas o mundo anda em círculos
gira tão rápido que nem percebemos quando o vento passa sobre nós
e agora eu só preciso de pés novos
porque estes aqui já estão cansados
a todo tempo acontece, é sem regra alguma
o tempo só esta sendo muito mal comigo
porque nem com o mais poderoso de todos eu consigo te tirar da cabeça
meu pequeno... pequeno... meu... pequeno... pequeno príncipe
.
.
.Visitem Yuri
.
.

A Mestiça - por ZzipperR

Sinceramente eu não entendo as mulheres, elas são muito complicadas e imprevisíveis. O que eu posso fazer se é delas que eu gosto?
Quando eu fico parado sozinho, bem concentrado nos meus pensamentos, chego à conclusão de que a mulher não precisa do homem para viver. Chegará o dia em que o homem não existirá mais. O progresso do mundo evolui muito, DNA, bebê de proveta, escolha de sexo, este poderá um dia ser o extermínio do homem. Chega de falar besteira, que o que eu quero mesmo são elas.

No domingo, eu vi uma coisa que me fez pensar e concluir que realmente a mulher é complicada. Falo analisando o meu ponto-de-vista que concordo ser uma porcaria. Duas garotas aparentando mais de trinta anos chegaram perto de mim, uma usava uma saia quase até o joelho, de repente ela levantou a saia para mostrar o short que estava usando por baixo. Nossa! Como ela ficou sexy e atraente mesmo quando soltou a saia e continuou andando. Momentos depois ela estava só de shorts e não era mais sexy nem atraente. Por quê? Qual é a mágica da saia? Se ela soubesse a minha opinião com certeza compraria aquela saia.
A vida inteira eu fui apaixonado por mulheres que usam saia, aqueles vestidinhos que deixam a mulher parecendo uma menina. Melhor nem falar!
Eu vou falar de uma mestiça que passou em minha vida. A danada era bonita e tive que ser malabarista para ganhá-la. Vou contar:

Em minha época de Skinão, este apelido porque eu tinha um fusca verde rebaixado e todo escuro com um adesivo escrito Skinão atrás, minha amiga Magali estava fazendo aniversário e me convidou. Eu era um cara estranho demais, estava com uma camiseta branca toda rabiscada pela galera, tinha nome de todo mundo ali, o que quisessem escrever, calça jeans toda destroçada, um tênis velho. Eu era uma figura assustadora.
Quando cheguei à festinha, vi uma mestiça de cabelos longos com um vestidinho preto que me arrepiou. Chamei o Edson, irmão da Magali e perguntei:
- Edson! Quem é essa mestiça?
Ele respondeu:
- É a Vera, ela é da Vila Sônia e não é pro nosso bico não.
Pensei: Eu tenho que ganhar essa garota e vai ser hoje.
Chamei a Magali e falei:
- Magali, essa mestiça está com quem?
- Sozinha.
- Me apresenta e quando ela for embora nós vamos juntos, você e o Marcio, eu e ela.
- Skinão! Você está a fim de ganhar ela?
- Ela vai ter que ser muito esperta para conseguir sair fora.
- Fique tranquilo!
A mestiça era gata demais e eu fiquei trocando algumas idéias com ela para o tranco não ser muito violento.
Na hora de ir embora, a Magali fez tudo certinho. Ela e o Marcio atrás. Não teve jeito, a mestiça teve que sentar ao meu lado. Aproveitei e falei:
- Vamos dar uma parada na Praça do Morumbi e andar um pouquinho?
A Magali falou:
- Vamos!
Pensei: Isso que é amiga. Eu amo ela!
Os dois saíram fora e ficamos para trás eu e a mestiça.
Pensa rápido cara é agora! Ela não pode escapar!
Peguei na mão dela como se fossemos caminhar. Andamos uns dez passos, eu virei e não falei nada, beijei direto. Ela falou:
- Você é muito atrevido.
Eu beijei de novo. Ela sorriu e eu falei:
- Eu não resisti. Você tem uma boca muito gostosa. Eu ficava seguindo sua boca na festinha o tempo todo. Posso te abraçar?
– Pode!
Como ela era bonita e gostosa! Fiquei com ela três meses e nunca transamos. Ela era para ser a mulher da minha vida, mas perdi por que fui um burro ignorante, primeiro por ter sido traído por uma amiga dela. É! A vida é cheia de arapucas. Pior é ser orgulhoso, não saber pedir perdão e ficar com cara de babaca olhando o tempo passar e levar ela embora.

Zip...Zip...Zip...ZzipperR
.
.
.
Visitem ZzipperR
.

Amore Mio - por Adhemar

Querida,

Se perdoas ou relevas meu mau jeito
apesar de um tanto quanto desvairado
sabes que estás no mais fundo do meu peito,
pro nosso amor é que eu vivo orientado.

Saibas que o tempo só fez crescer o sentimento
de união, de ir em frente o que nos une.
São tantas coisas de um vasto sortimento
que a umas raspas de rancor está imune.

Então olho pra trás, olho pra frente
e te vejo em permanente devoção.
A teus pés sou apenas um vivente
dependente de te levar no coração...

P/ SM
.
.
.
Visitem Adhemar
.

domingo, 26 de setembro de 2010

Nós - por Alba Vieira

Toda pessoa tem um grupo espiritual
Que sempre a acompanha
Eu e você, às vezes somos um canal
E também vivemos essa façanha.

Fico pensando como será interessante
Quando a gente se encontrar
O congraçamento dessas almas
Que vivem a nos inspirar.

É que eu tenho uma certeza:
Que somos almas afins.
Pensamos tantas coisas de infinita beleza,
Que superam as outras ruins...

Viemos do mesmo lugar,
É o Universo quem garante,
Quando é impossível para nós
Caminharmos estando longe.

É certo que nosso grupo já se conhece há muito tempo.
E a nossa relação é uma explosão de contentamento.
Entretanto o tempo não existe para além desse espaço.
Juntos emanamos a vibração de um forte abraço.

Por isso é que o nosso amor
Muda as cores dos lugares,
Traz a paz aos corações,
Brilho e perfume aos outros pares.

Somos como os beija-flores
Disseminando a alegria,
Num vôo sincronizado
Salpicando amor à revelia.

E o encontro dos nossos guias
É como dois arco-íris que se entrelaçam.
Impossível saber até onde essa energia
Alcança os corações que nunca se separam.

É que o amor só traz expansão
E pensamentos positivos elevam a vibração.
Eles permitem que o homem consiga melhorar
O mundo em que vive com aquilo que pensar.

Olhemos para o outro como um Ser especial,
Focalizando em cada indivíduo o Eu superior.
E a conversa dos dois Eus de maneira natural
Permite que cada um manifeste o seu real valor.

Todos somos inspirados por energias superiores.
Somos seres de luz interligados e amorosos.
O amor se propaga através desses benfeitores.
Elevando nossas vibrações podemos ser maravilhosos.
.
.
.
Visitem Alba Vieira
.

Intensidade... - por Adir Vieira

.

.
.
.
Tudo em mim é intenso...
Não sei chorar pouco
ou não desejar tudo...
Se a dor se apresenta
me dilacera,
no entanto se vem a alegria,
se apresenta com festa...
Sentir assim é bom ou ruim?
Pergunta-se o poeta
e busca na mente em detalhes
dispersos, a resposta precisa
para esse sentir forte,
profundo, rijo, que de tão forte
às vezes sem sentido...
não deixa o sentir doce e sim vazio...
.
.
.
Visitem Adir Vieira
.

Vogais da Paixão - por Daisy

Paixão
Amor ardente
Instinto arrebatador
X........A
Aventura arriscada
Objeto ardiloso

Paixão
Abismo enigmático
Ilusão efêmera
X........E
Adversária experiente
Ocasião enganosa

Paixão
Anseio infindável
Ideia irracional
X........I
Atração imprudente
Opressão insensata

Paixão
Afeto obstinado
Ímpeto ousado
X........O
Ardor ofuscante
Oportunidade obscura

Paixão
Afeição utópica
Impulso ubíquo
X........U
Arrebatamento urgente
Obsessão única
.
.Visitem Daisy
.
.

Desejo... - por Ana

De Mercúrio, a cordialidade,
De Vênus, a suavidade,
Da Terra, a fecundidade,
De Marte, a ferocidade,
De Júpiter, a prosperidade,
De Saturno, a austeridade,
De Urano, a variedade,
De Netuno, a insanidade,
De Plutão, a profundidade...
.
E assim, por todos os Hades,
Diga, inspiração, quo vadis?
.
.
.
Resposta à mensagem de Ano Novo de Kbçapoeta.
.

Entrando Feito um Ladrão no Teu Coração - por Poty

Se trancares a porta eu pularei a janela, farei como um ladrão...
Chega de mansinho rastejando para fazer carinho e mexer neste duro coração...
Se não deixar entrar, subo ao telhado faço um buraco, destelho, desço no quarto e ficarei ao teu lado para esquentar o frio que bate no teu coração...
Não tranque a porta do teu amor porque sou capaz de lançar pétalas de rosas com espinhos para ir furando bem devagarzinho até atingir as pedras que se encontram no caminho deste pobre coração...
Vou abrir as fechaduras para iluminar esta vida dura que procuras esconder sem dar permissão, mas quero amolecer este nobre coração!
Mostrar-te-ei que por trás deste muro fortificado existe um pedacinho que gosta de ser amado e abre para ser olhado sem furar o cerco da paixão...
Esta seca é passageira!
Esta cerca eletrificada finge que mata!
Mas me dá choque de emoção fazê-la reagir ao amor perdido que a fez ficar ressabiada com a vida.
Vem!
Faço a tua secura ficar de bem com a vida e amar de alma e paixão; desta vez de pé no chão. Sem sonhar nas nuvens. Sabendo que há falhas no amor entre homens e mulheres, mesmo os que dizem estar na mais intensa paixão.
Não seja dura consigo mesma! Vá por mim! Deixa correr este amor que segue neste corpo mexendo na mente fervilhando no teu sangue quente...
Não fique pegando fogo por dentro, vai virar um vulcão, um uivar silencioso, gritar sem fazer barulho, mas quando soltar as lavas vão jorrar vapores quentes, pode lascar o que encontrar pela frente e fazer você mudar este lado ferido por causa de uma situação.
Pense nisto, porque vai ser bom pra gente continuar com o lado carente e cheio de paixão... Somos: baixo astral, autoestima; pra cima, pra baixo; o acaso, o descaso; o encontro, o desencontro; o conflito, a paz; a insegurança, a segurança; o amante, o cúmplice; e tudo mais! É o que somos!
.
.
.
Visitem Poty
.

Epitáfio do Invejoso - (Anônimo)

.
Pô, você ainda vive...
.
.Inspirado em Epitáfio do Invejoso, de Ana.
.
.

São Judas Tadeu - por Priscila Conrado

.
Imagina o que podíamos ter sido
Imagina estrelas ao nosso alcance
Imagina a gente correndo sem destino
Imagina que no seu colo eu descanse

Imagina o passado reparado
Imagina, enfim, felizes
Imagina uma vida inteira sem pecado
é como dizer: - Cubanos livres!
.
.

Não Apenas por Libido - por Tércio Sthal

.

.
.
.
Além de ser um cívico dever,...............................................................
votar e representantes eleger,...............................................................
deve ser um ato de responsabilidade,...............................................................
uma espécie de sagrada propriedade................................................................
(T.S. parafraseando Thomas Paine)...............................................................
.
.
.
Tem muita gente votando sem saber
pra que serve o voto e a votação,
ninguém explica o que vai acontecer
depois que terminar a eleição.

O Senador outro cargo vai querer
e assumirá o seu suplente de plantão,
que o eleitor nunca viu nem pode ver,
E daí: importante é ter poder na mão.

Ao votar em seu candidato,
no jogo de cartas marcadas
elege, sem saber de fato
de onde virão as risadas.

Negócios espúrios no balcão
montado no centro do Poder,
a estabelecer a corrupção
ativa, passiva, e a convencer.

Mas se cada voto valesse de fato,
e os mais votados fossem eleitos,
se com igualdade os candidatos
não escondessem os seus feitos,
a eleição faria muito mais sentido
e votar seria sim um ato de prazer,
ninguém o faria apenas por libido,
mas livremente, por direito e dever.
.
.
.
Visitem Tércio Sthal
.

Audioteca Sal e Luz

A Audioteca Sal e Luz é uma instituição filantrópica, sem fins lucrativos, que produz e empresta livros falados (audiolivros).
Mas o que seria isto?
São livros que alcançam cegos e deficientes visuais (inclusive os com dificuldade de visão pela idade avançada), de forma totalmente gratuita.
Seu acervo conta com mais de 2.700 títulos que vão desde literatura em geral, passando por textos religiosos até textos e provas corrigidas voltadas para concursos públicos em geral. São emprestados sob a forma de fita K7, CD ou MP3.
E agora, você está se perguntando: o que eu tenho a ver com isso?
É simples. Nos ajude divulgando.
Se você conhece algum cego ou deficiente visual, fale do nosso trabalho. DIVULGUE!

Para ter acesso ao nosso acervo, basta se associar na nossa sede, que fica situada à Rua Primeiro de Março, 125- Centro - RJ. Não precisa ser morador do Rio de Janeiro.
A outra opção foi uma alternativa que se criou, face à dificuldade de locomoção dos deficientes na nossa cidade. Eles podem solicitar o livro pelo telefone, escolhendo o título pelo site, e enviaremos gratuitamente pelos Correios.
A nossa maior preocupação reside no fato que, apesar do governo estar ajudando imensamente, é preciso apresentar resultados. Precisamos atingir um número significativo de associados, que realmente contemple o trabalho, senão ele irá se extinguir e os deficientes não poderão desfrutar da magia da leitura.

Só quem tem o prazer na leitura, sabe dizer que é impossível imaginar o mundo sem os livros...

Ajudem-nos, DIVULGUEM!

Atenciosamente,
Christiane Blume
Audioteca Sal e Luz
Rua Primeiro de Março, 125 / 7º Andar - Centro - RJ. CEP 20010-000
Fone: (21) 2233-8007
Horário de atendimento: 08 às 16 horas
Acesse a Audioteca Sal e Luz
.
.
.
A Audioteca não precisa de dinheiro, mas de DIVULGAÇÃO!!!
Então conto com a ajuda de vocês: repassem!
Eles enviam para as pessoas de graça, sem nenhum custo.
É um belo trabalho!
Quem puder fazer com que a Audioteca chegue à mídia, por favor fique à vontade.
É tudo do que eles precisam.
.
.

domingo, 19 de setembro de 2010

Desejos - por Alba Vieira

Mar tormentoso é o desejo
Que faz do homem o que bem quer.
Se ele cede a um só lampejo
Mais que um escravo não é.

Quem dentre vós já escapou
Surrado pelas águas desse mar?
Da razão nada sobrou.
- Sob domínio do desejo, é certo naufragar.

Ainda que sereno ele se mostre,
Fatal que se apresente em profundeza
Irreconhecível, imenso, a própria morte,
Quando expressa a verdadeira natureza.

O homem só é senhor do seu destino
Naquilo que não concerne à paixão,
Pois nas garras dessa loba é um menino.
- Coração cravado sem perdão.

Tão humano é esse sentimento
Que cumpre a cada um se perguntar:
Elevar-se em espírito é despir-se do desejo?
Ou será amar e diluir-se nesse mar?
.
.
.
Visitem Alba Vieira
.

Ínfimo - por Ana

Como formiga entre o povo
Vivo no banco da praça
Vendo coisas no sinal
Apenas a fome me abraça

Como formiga entre o povo
Choro minha solidão
Mato infinitos piolhos
As necessidades no chão

Como formiga entre o povo
Recolho migalhas das gentes
Assisto a pés apressados
Solto meus gritos dementes

Como formiga entre o povo
Tomo banhos de mentira
Converso com minha sombra
Durmo com minha ira

Com nada eu me comovo
Não vejo nada de novo
Sonho com pão e ovo
Como formiga entre o povo
.
.
.
Inspirado no último verso de Razão, de Marília Abduani.
.
.

Epitáfio do Papa-defuntos - (Anônimo)

.
São os ossos do ofício!
.
.
Inspirado em Epitáfio do Papa-defuntos, de Ana.
.
.

Redenção - por Priscila Conrado

.
A falta que faz agora
É a mesma que fez sempre
Não vá de novo embora
Quero que de mim lembre

A solidão em minha alma é berrante
É inquieta, patológica e corrosiva
Consequência de sua vida errante
Traz consigo uma trajetória nociva.
.
.

Excerto de “O Adversário” - por Maurício Limeira

.
“Como não sabia o que viera antes, se a dor de cabeça ou o medo, decidiu que chegaram juntos. O frio veio depois. E como não tinha coragem para sair da posição de feto retorcido que o medo lhe estava impondo, não conseguiu fechar a janela, por onde entravam ventos, lixo, chuva e mais medo. O dia estava indo embora e levava com ele a luz. As luzes. Ver então o quarto escurecer por completo, para ele foi como um fechar de olhos sem retorno.”
.
.
O ADVERSÁRIO
LIVRO. BLOG.
.
.

Alma... - por Poty

.
Alma...
Energia flutuante
Água corrente que desce montanhas
..Segue caminhos inesquecíveis
..Vai energizando por onde passa
Por quais afluentes circula...
.
.
Visitem Poty
.

Acredite - por Tércio Sthal

Tente ouvir nem que seja um pouco de tudo,
de tudo quanto só alguns poucos podem ouvir,

Seja cauteloso sim, mas só quando necessário,
inventivo, criativo, inovador, persistindo em ir
com assertividade e crescente entusiasmo.

E se andar por caminhos que outros revelaram,
saiba que irá só até aonde os outros chegaram.

Não fique parado aí no caminho, siga em frente,
acreditar em tudo e todos é viver uma ilusão,
mas não crer em nada e em ninguém, é solidão.

Se apenas se defender correrá maior risco de perder,
e pensar em fazer só o meio-campo não é nada bom.
É preciso saber o momento certo de atacar e de defender.

Se quer pontuar a seu favor saiba o momento de atacar,
não dê bola para o juiz, para os fiscais, nem para a torcida,
vença as adversidades, uma a uma, e vá comemorar.

Não espere algo de bom ou de mal acontecer,
seja protagonista de sua própria história,
opere, coopere, e saboreie cada vitória.

Sempre que ganhar, faça a festa, vibre,
aproveite cada momento, seja livre.

Ordeiro sim, mas sem ser pacato,
com atitude e ação, em cada ato.

A mover, sistematizar, ordenar, organizar,
e possibilitar o surgimento de novas mudanças,
para ver novos horizontes e diminuir distâncias.

Ordeiro sim, mas conformista não,
conformar-se é ofuscar a própria visão.

Ordeiro sim, mas sempre progressista,
há sempre algo bom e próximo da vista.

Autocomiseração traz tristeza e desesperança,
acredite em algo supremo, de grande valor.
Tenha fé em Deus, fé na vida, e fé no amor.
.
.
.
Visitem Tércio Sthal
.

João de Aquino e Paulo Cesar Pinheiro em “Viagem” - por Clarice A.

 
Oh, tristeza, me desculpe
Estou de malas prontas
Hoje a poesia veio ao meu encontro
Já raiou o dia, vamos viajar

Vamos indo de carona
Na garupa leve do vento macio
Que vem caminhando
Desde muito longe, lá do fim do mar

Vamos visitar a estrela da manhã raiada
Que pensei perdida pela madrugada
Mas que vai escondida
Querendo brincar

Senta nesta nuvem clara
Minha poesia, anda, se prepara
Traz uma cantiga
Vamos espalhando música no ar

Olha quantas aves brancas
Minha poesia, dançam nossa valsa
Pelo céu que um dia
Fez todo bordado de raios de sol

Oh, poesia, me ajude
Vou colher avencas, lírios, rosas dálias
Pelos campos verdes
Que você batiza de jardins-do-céu

Mas pode ficar tranquila, minha poesia
Pois nós voltaremos numa estrela-guia
Num clarão de lua
Quando serenar

Ou, talvez, até, quem sabe
Nós só voltaremos no cavalo baio
O alazão da noite, cujo o nome é raio
Raio de luar
.
.
.
.
.

Recado - por Leila Dohoczki

É muito legal ter o Duelos a todo vapor de novo.
Lembra das minhas poesias infantis? Virou um livro que foi lançado na bienal, pela Editora Livro Pronto.
Se fosse a força e o incentivo dos amigos não teria acontecido....
Valeu! Bom retorno e mãos à obra!

Abraços,
Leila Dohoczki
.
.
.Visitem Leila Dohoczki
.

Festa do Dia das Crianças - INCa

Vamos ajudar que é coisa séria. Vou passar para todos, quem sabe alguém conheça um baixinho que queira fazer uma outra criança feliz?
.
.
.
Pacientes infantis terão festa com o tema Princesas e Heróis

INCAvoluntário pede doação de fantasias para todas as idades

Este ano, a festa do Dia das Crianças, para os pacientes infantis, terá como tema Princesas e Heróis.
A ideia é vestir a caráter todas as crianças que participarão do evento,
sendo as meninas de princesas e os meninos, de heróis.
Ao todo são 250 crianças.

Por isso, o INCAvoluntário pede que as pessoas doem fantasias infantis, de todos os tamanhos,
pois a festa é para crianças desde recém-nascidas até 18 anos incompletos.
A festa será no dia 5 de outubro.

As doações devem ser entregues nos núcleos do INCAvoluntário nas unidades assistenciais ou
na Central de Doações, localizada na Rua Washington Luís, 35 / Sala 171 - Rio de Janeiro.

Angélica Nasser
INCAvoluntário
Instituto Nacional de Câncer

Entrar no grupo:
Voluntários_Amigos
Envie seu email, informando desejar participar.
.
.
.
Por favor, repassem aos amigos que tem filhos/netos que possam doar este tipo de roupa.
É uma festa que deve trazer uma imensa alegria às crianças.
.
.
.

“Mundos Superiores” - por Francisco Carlos Cavalcante

“Mundos Superiores”, por Francisco Carlos Cavalcante, conta a história de Márcio Santos que vive seu cotidiano trazendo em seu interior, conflitos, medos e temores. Em dado momento acaba se envolvendo numa trama improvável, da qual não tem a menor idéia das dimensões e consequências.

Sendo observado por representantes de uma civilização mais evoluída, é “convidado” a fazer parte de um grupo de doze integrantes num projeto transcendental que vai além do seu entendimento e compreensão. Levado a lugares inimagináveis conhece pessoas que mudarão sua vida para sempre.
.
Toma conhecimento da existência da Sociedade. Organização secreta que tem como principal, senão única atividade, atrasar a evolução dos homens aqui na Terra, por simples sentimento mesquinho de rancor.

Neste livro mitos milenares são desvelados: A Santa Igreja, o Corpo Bio-plástico, a Besta, o Espaço e o Tempo, a Maçonaria e o Apocalipse.

Mundos Superiores, traz diálogos enternecidos e esclarecimentos vigorosos. Tudo envolvendo suspense, lugares paradisíacos, realidades fantásticas, regado a muito bom humor e tiradas inesperadas.

· Existe um projeto divino para todos nós?
· E o cosmo, como está inserido neste contexto?
· Por desconhecermos, devemos temer o novo ou procurar conhecê-lo?
· Será verdadeiro o relato ora apresentado pelo autor?
· Será imaginação?

TIRE VOCÊ MESMO SUAS CONCLUSÕES.
.
.
.
.
.
Adquirindo este livro, você estará colaborando para a realização de um projeto social.
.
.
.
.

domingo, 12 de setembro de 2010

Retorno do Duelos

.
Caríssimos amigos:
.
.
Após várias batalhas para resolver os problemas de conexão, violentos ataques cibernéticos ao meu pc
e o surgimento de graves problemas de ordem pessoal, finalmente retomo as postagens no Duelos.
.
Nesta fase inicial, por questões alheias à minha vontade, não poderei garantir edições diárias,
mas postarei, pelo menos, uma vez por semana.
.
Peço desculpas pela ausência prolongada e agradeço todas as manifestações de saudade,
a campanha iniciada por Kbçapoeta no chat, todos os textos e mensagens recebidos,
a perseverança dos amigos de longa data e a simpatia dos novos amigos neste período.
.
.
As colaborações serão postadas aos poucos e seguirão a ordem de chegada.
Enquanto isso, podem continuar enviando seus textos.
.
.
O “Tema do Mês de Março” passou a ser o “Tema do Mês de Setembro”.
Participem!!!
.
.
Agradeço imensamente a compreensão de todos.
.
.
Um grande abraço!
.
.

As Flores do Caminho - por Alba Vieira

Destino não é condenação obrigatória,
Livre-arbítrio é oportunidade justa.
Quantos de nós, em nossas trajetórias,
Fazemos distinção dos dois na luta?

Aprender não implica sofrimento,
Atenção ajuda a abreviar as provas,
Já que cada uma tem o intento
De testar a evolução antes de passar pra nova.

Todos podemos crescer mais facilmente
Sem desperdiçar as oportunidades que virão.
Opor resistência ao ensinamento
É pedir provas mais duras, sem perdão.

Porque quando vivemos sem reflexão
A Vida precisa ter muita paciência
Pra ficar repetindo ao incauto a lição,
Tantas vezes até poder tomar ciência.

As escolhas a cada passo são inevitáveis,
E é preciso avaliar antes de optar.
Criamos no presente as próximas paragens.
Quem escolhe bem, entre as flores vai caminhar.
.
.
.
............Visitem Alba Vieira
.

Coisas de Família - por Ana

Nessas coisas de família,
Há de se ter cuidado:
Faz-se poesia pra um,
O outro fica amuado.

Faz-se poesia p’ro outro,
Que a lê em expectativa.
E ao final sentencia:
- “A do Fulano é mais bonita,

Mais profunda, inteligente,
Muito mais inspiradora!”
Isto em tom de cobrança,
Com a voz acusadora.

Ai, Amor, como tu sofres!
Às vezes por só se expressar...
Ainda mais se é o ciúme
Que está a espreitar.

Mesmo assim não desanimas,
Continuas a versejar!
És imune? Indiferente?
Ou pertences ao “Nosso Lar”?

Não sei... Mas, também, tanto faz:
P’ros ataques és blindado.
Mas... nessas coisas de família,
Há de se ter MUITO cuidado...
.

Epitáfio do Espião - (Anônimo)

.
É só disfarce.
.
.Inspirado em Epitáfio do Espião, de Ana.
.
.

Apenas uma Brisa - por Priscila Conrado

.
Apostei alto e ganhei
Te deixei desorientado
Era tudo que sonhei
Seria esse um amor inventado?

Depois o encanto acabou
Se dissolveu então aquele excêntrico sentimento
O coração se despedaçou
E alma cálida levada pelo vento.
.
.
.

Atacama - por Renata Zonatto

.

..................Foto: Janaína Ghiggi
.
.
.13 dias!
Um ônibus.
Amigos.
Desconhecidos,
Afinidades.
A Música.
A poesia.
Os óculos escuros
que não me deram
a chance
de encontrar
o teu olhar.

Azul
Vermelho
O Grenal.
A oportunidade.
A conversa.
A consoante peituda,
e novamente
teus olhos
não encontram
os meus.

A festa.
A cerveja.
A parede.
O beijo...
(Não o meu!)
A decepção!

O Deserto.
A praça.
A policia.
O vinho derramado.
Não percebeu,
mas alguém te olhava,
ria,
achava graça,
da tua raiva.

A última noite.
O hotel.
O terraço.
A fumaça.
Os teus olhos,
enfim,
encontram
os meus.
O começo!
.
.
.
.
.

Piano e Piano - por Manassés Diego

.....
..........Tua manhã é o mesmo tecido, franco de morte, beijo montanha, tremer de amor no
....santuário,
.....De nunca em nunca, minguante
.....Deixavas fotografias acorrentadas espalhadas como se fossem fugir pro deserto, pro
....carrossel...
.....Contas que o teu universo abriu, trazem de volta o dinheiro esperado, unido suavemente
....a nós.
.....Prece desaba.
.....Num lugar sem sol e sem estâncias, teu navio e trem (que são um só) esperam por nós abalados pela carga
.....Faltando pílulas ou peles na tua canção.
.....A profundidade sem querer ser profunda, ama
.....Vamos.
.....Giram na tua frente esconderijos, relançam flores. Vida a passar o receptivo.
.....Qualquer coisa pode ser absurda, menos a existência
.....E a distância é
.....Achada
.....Fica com as maçãs do teu rosto, boas fomes pra você, santuário real dos caciques!
.....Pessoa que me encontra! Que me espera!
.
.
.
.

Convite - por Dan

.
Oi, Amigos!
.
.
Visitem meu novo blog, estou esperando por vocês.
.
Abraços
.
.

Só Querer Não é Poder - por Tércio Sthal


.
.
....Querer é apenas sonhar.
....Além de querer, é preciso agir,
....Traçar metas e as cumprir
....E com grande entusiasmo ir
....Em direção ao que se quer,
....Para atingir o objetivo
....E alegremente, comemorar.
.
.
.
.
.
.

A Criança que Calou o Mundo por 5 Minutos - Enviado por Cacá

.Esse é o tipo de mensagem que a gente tem que implorar para que seja vista
e espalhar pelos quatro cantos do mundo.
.VALE MUITO A PENA.
.Abraços.
Paz e bem.
.
.
.
.
.
.
Visitem Cacá
.
.

“O Adversário” - por Maurício Limeira

.
Este post vem divulgar o primeiro romance do autor Maurício Limeira, O Adversário,
publicado pela Editora Multifoco e que foi lançado em 10 de agosto de 2010, na sede da editora,
com um show da Orquestra Popular Brasil de Cara.
.
.
.
.
.
.
.
.

Feliz Dia dos Namorados! - por Poty

Deixa eu te dar
um abraço?
Não amasso.
Um abraço!
Daqueles que
a alma sente
e o coração
se aquece
e transborda
de amor...
Daquele que
ninguém
esquece,
esteja onde for.
.
.
.
Visitem Poty
.
.