Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 4 de novembro de 2012

Serpentário - por Ana



Eu não escrevi uma linha
Desde que o Duelos parou.
Os versos... lá p’ras cucuias...
Minha inspiração murchou...

As letras são minhas amigas,
As minhas palavras, serpentes.
Não escrevê-las me enerva...
Não me entendo mais por gente...

As palavras são serpentes?
Imagino, você pergunta.
A explicação vem abaixo,
Pois a resposta é profunda.

Serpenteiam em minha mente
Em ideias, tramas, colóquios,
Debates, cartas, respostas,
Argumentos, solilóquios...

Enlaçam-se umas nas outras,
Completam-se (por vezes não...),
Dão frutos e às vezes morrem
Antes da concepção...

Enroscam-se longamente
Qual rede de DNA,
Crescem, se reproduzem...
Meu cérebro, seu habitat.

E neste ninho sinistro,
De voltas e voltas sem fim,
Não cabem tantas espécies
Se não saírem de mim.

Elas não se organizam,
Elas não criam sentido...
Apenas em vão proliferam
Num zoológico maldito...

É assim que sinto as palavras
Que ficam aqui represadas.
E eu me torno uma Medusa
Quieta, isolada, ilhada...






 
 

Justa Medida - por Alba Vieira


A abóbada do mundo resplandece...
Salpicado de prata o negro céu!
Enquanto no meu coração acontece
Explosão de amor se retirado o véu.

Porque a coisa mais linda nessa vida
É aprender e para sempre aprender.
Nada se move sem justo motivo...
O destino do homem é compreender.


A.mor.te - por Renata Zonatto

 



Eu fico ali...
Plantada
Chorando
Torcendo que seja um sonho
Pesadelo
Miragem
Esperando que alguém
me tire dali
Bêbada
Desmaiada
Morta
Desejando um chá amargo
que faça eu vomitar
tudo aquilo que vi.
.
.
. 

 
.
.

A GRANDE VERDADE É - por Tércio Sthal

QUE OS OBSTÁCULOS E AS DIFICULDADES
ESTÃO PRESENTES EM TODOS OS LUGARES,
E SÓ PODEM SER VENCIDOS, OU TRANSPOSTOS,
POR PESSOAS QUE ACREDITAM QUE “A FÉ
PODE REMOVER ATÉ MONTANHAS”

(TÉRCIO STHAL)

 
 
 
 


FÉ E AÇÃO

Por caminhos livres qualquer um sabe andar com facilidade,
mas quero eu aprender com quem já sabe caminhar
vencendo cada um dos obstáculos, e cada dificuldade.

Quero deixo para trás as mágoas e ressentimentos,
quero levar sempre comigo os melhores momentos,
tudo o que for útil, prático e necessário para mim.

Lanço minha rede crendo que vou pegar muitos peixes,
traço o meu objetivo e sempre caminho em sua direção,
'a fé remove montanhas', esta é a minha convicção.

Não quero ser corredeira de pouca água batendo fraco em pedra dura,
não devo viver desviando para depois corrigir minha própria direção,
viver aos trancos e barrancos não é e nunca será minha configuração.

Quero ser corredeira de muita água batendo forte em pedra dura,
a transportá-las, ou carregá-las, para outras posições,
seguindo com fé, sem temer qualquer ameaça de desventura.


Visitem Tércio Sthal
.
.

Antonio Cícero: “Deus Ex Machina” - Enviado por Penélope Charmosa


 
 

Farei ainda mais um decassílabo
e mais um soneto e ainda por cima
invocarei, só por questão de rima,
figuras mitológicas, feito Ícaro,

 
cativo do labirinto que Dédalo,
seu pai, artífice também das asas
que brindariam ao filho, bipétalo,
seu mergulho no azul, arquitectou.

 
Dédalo explicou a precariedade
do artefacto de papel e casqueira,
geometria mística e goma-arábica

 
solúveis ao sol. Mas agora é tarde
e rasga a geringonça o céu à beira
do nada
               seu destino
                                  sua dádiva


In “A Cidade e os Livros”, p. 35.                                            
 
 

Quebrando Tatos por Olfatos- por Yuri

5 pontos para direita e às vezes 2 para a esquerda. É isso que eu faço de melhor.
Tomando um gole de um copo que contém sua última gota de sangue.
Eu me sentia guardado. Talvez congelado demais, dentro de você.
3 pontos por sua existência. Para a direita. E 5 pontos por ela ter vingado.
É isso que você parece. Meias palavras. Um álbum incompleto. Aquele quebra-cabeças faltando peças...
Agora meus fios de DNA se fundem com o mais ácido suor. Dói. Mas eu ainda consigo correr. Eu sei de onde eu vim. Não fale para eu voltar. Porque eu não me perdi. Eu sei de onde eu vim e com certeza não foi só de sua cabeça.
Eu sei que você criou um novo eu. Mas esse não é real. Esse não pode respirar.
Esse é um modelo só seu, de sua própria imaginação. Não tente me acorrentar em seu coração. Correntes sujas de sangue velho. Você não é um homem novo.
Quando se prova e gosta, sempre se fará. E eu não quero estar em volta quando acontecer novamente.


.
.
Visitem Yuri
.
.

Selo “Este Blog é Brutal!” - Recebido de DAS

 


Este eu ganhei novamente do meu parceiro (\o/) Sepulcro Gótico,
do blog ††Dor Lagrima Gótico Medieval††
É tão fofinho, né? rs
 
 
Regras...
A mim chegou com duas apenas:

-> divulgar o nome de quem criou o selo: blog Vampirella Arts
-> divulgar o blog que está cedendo o selo: DAS



O Duelos agradece, DAS!!!!
 

 

A Visita que me Deixou Feliz! - por Adir Vieira

 

 O feriado no meio da semana deixou a sexta-feira com cara de sábado.
Nada como isso, o fato de a mesmice não imperar.
Feliz foi meu dia ontem, quando, de surpresa, recebi, para passar o dia entre nós, a sobrinha de minha amiga e minha irmã dileta, a mãe de todos.
A presença dessa minha irmã em minha casa por um longo período, da manhã ao fim da tarde, trouxe-me sabores de dias vividos quando ainda éramos solteiras na casa de minha mãe.
A menininha de três anos e meio, como ela própria especifica quando perguntada sobre sua idade, deixou o ar com excelente energia e seus porquês a tudo o que se dizia, encheu de risos o ambiente. Esperta por excelência, observadora como poucas crianças de sua idade e sobretudo inteligentíssima e madura, fez o dia especial.
Ao chegar, fiz questão de mostrar a ela a casa, como o faço quando os adultos me visitam pela primeira vez e, diferentemente de qualquer criança, tinha postura de um ser grande quando olhava e dizia “bonitinho”.
Desde pequena está aprendendo, acho que com a tia, a ter sinceridade e mais uma vez aí, mostra sua grande diferença com as outras crianças.
Até meu marido que não é, hoje em dia, afeito a agrados às pessoas que eu gosto, quedou-se à graciosidade da menininha, o que não fugiu da observação de minha sobrinha que me perguntou porque o tio havia tratado tão bem à nova visita e não tanto a sua coleguinha na semana passada.
Apesar de meu pedido, sei que talvez as oportunidades não permitam visitas como essa, com constância. Mas seria muito bom se pudéssemos compartilhar semanalmente coisas assim, para recarregarmos nossas “baterias” de luz.
Vou torcer para isso!

Visitem Adir Vieira


(Sem Título) - por Poty


Corpo sem idade,
Mente sem fronteiras...
Corpo que grita
 Corpo escultural
Corpo que rola,
Fica em pensamentos...
O corpo fala
O corpo responde,
Corresponde...
 Corpo que se mexe,
Remexe...
Enche meus olhos,
Não sei o que fazer
É uma tentação...
 Bem assim que acontece
E vai continuar assim

Visitem Poty