Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




segunda-feira, 1 de março de 2010

Lunar - por Marília Abduani

Muro alto, tantas portas,
Tantos caminhos sonhei.
Pelas pontes dos teus olhos
tanto mar atravessei.

Mundo torto, vasto sonho,
nas estradas que cruzei.
Pelo vão da tua escada
me perdi e me encontrei.

Hoje sou o que quiser
traço a vida com meus pés
só o que conta é cantar.

Cantar, cantar e cantando,
te perdendo ou te encontrando,
nas invencíveis marés.

(O resto é sombra lunar.)
.
.
.

Felicidade - por Alba Vieira

Brilha o sol com intensidade, logo de manhã,
Convidando toda a gente para viver com afã.
Que alegria será esta que brota no coração
Sempre que ele aparece dissipando a escuridão?

Há quem goste dos dias nublados
Com friozinho que chama o aconchego.
Mas vejam, parece inegável que é a luz
Que mais desperta o nosso desejo.

O sol assanha as pessoas e faz todo mundo sorrir.
Esquenta até mesmo as entranhas aguçando o sentir.
Dá vontade de sair dançando, abraçando quem encontrar,
Pintando os caminhos de sonhos e esperando o luar...
.
.
.Visitem Alba Vieira.........................................
.
.

Reciprocidade - por Passa-Tempo

.
A reciprocidade de um sorriso honesto é melhor que um recíproco beijo falso.
.
.

Sem Estágio - por Poty

Todos querem ir ao céu,
Mas não querem morrer!

Querem ter a vida eterna,
Mais não fazem por onde tê-la!

Vivem o flagelo
E querem o martírio.

Destroem a vida
E querem a ressurreição.

Querem ser elevados sem passar pela agonia que construíram.

Da sublevação
Ao sufrágio.

Querem o céu dos vivos,
Não o inferno dos mortos...
A gélida palidez d’alma
Não o calor infernal.

Só querem,
Mas ficam sem.
.
.
.
Visitem Poty
.

Um Carinho - por vestivermelho

.
um galho da laranjeira
faz carinhos suaves
limoeiro apenas sorri
.
.
...............................................Visitem vestivermelho
.

O Que Eu Fiz? - por Ana

(Paródia da música “Flor de Lis”, de Djavan)


Valei-me, Deus,
a mulher tá maluca,
ficou lelé da cuca...

Eu sei que um erro aconteceu,
mas não sei o que fez
ela pirar de vez.
Onde foi que eu errei?
Eu só sei que tentei,
mediquei, mediquei, mediquei

Será talvez que é só impressão?
Ela tá louca não,
mas quando eu vejo que
dei o remédio
e a mulher não quis
tomar o diazepan
nem consultar no PAM
pra me fazer feliz...

E foi assim que eu vi
nosso amor na doideira, doideira...
Morto na maluquice de Marcinha...
E então minha Marcinha
malucou, doideceu,
ela ficou coroquinha,
coitadinha, enlouqueceu.
.