Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 23 de agosto de 2009

Aula de Latim - por Gio

Venho até aqui, esperando reação
Infeliz fui: tudo o que vejo são lamúrias
Novas esquivas, nova falsa acusação
Incapacidade, mal que não se cura

Vejo o que tudo isso poderia ser:
Incríveis lutas e combates sem igual...
Desperdiçados pelo ego a crescer,
Inúteis a alguém que pensa ser a tal

Venço o desgosto, cá permaneço no páreo
Inconformado com o que vejo todo dia
Cansei de esperar em vão, feito otário -
Injusto ou não, enfrento quem me desafia!



Resposta a Prognóstico, de Ana.
.
.
.
Visitem Gio
.
.

A Loja de Artigos para Bebês - por Adir Vieira

Não sei se foi o tempo já clamando pelo verão ou sei lá o quê, mas hoje acordei tão bem disposta que decidi dar um passeio a pé.
Como é um hábito meu, meus olhos captam qualquer sinal e varrem tudo o que veem.
Passava eu pela avenida já por demais conhecida, pois moro no local há mais de vinte anos. De repente vejo uma loja de artigos de bebê encurralada na garagem de uma casa.
A loja é pequena, mas bem colocada e bem decorada, utilizando-se de bonecos como manequins.
Travesseiros em formas de bichinhos e outros inúmeros artefatos para um quarto de criança enchem o local de beleza e candura.
Pode-se dizer que um profissional do ramo deixou ali seu aprendizado digno de prêmios e mais prêmios. Mas será que foi mesmo um profissional?
Começo a matutar o porquê de numa rua como aquela, onde só existem residências, alguém se arriscar a inaugurar um negócio daquele porte. Penso que eu não teria tanta coragem.
Penso que motivo levaria alguém a fazê-lo e relaciono algumas hipóteses em mente, uma delas o fato da dona ser sacoleira e devido a algum recente impedimento, ter que fixar o negócio na própria casa. Renego essa hipótese, pois o investimento para transformar a garagem em loja deve ter sido grande e sugere alguma coisa estrategicamente planejada.
Vou adiante no meu pensamento e imagino que a dona devia trabalhar numa loja dessas, ter sua própria carteira de clientes e agora, aposentada, desejado fazer sua própria loja. Escolheu sua residência para fugir de um aluguel polpudo.
Sei lá, são tantas as hipóteses...
Mas de uma coisa estou certa. Ali, naquele local, um comércio jamais irá prosperar.
Não sei como uma pessoa pode ser tão otimista a ponto de investir tanto para depois perder...
Mas assim é a vida. Vale enquanto sonhamos, enquanto esperamos ter sucesso, enquanto estamos felizes arquitetando novos projetos...



Visitem Adir Vieira
.
.

Corvos - por Alba Vieira

Eles são corvos
Representantes do mal, ajudantes de bruxas
Seres ignóbeis, camuflados em suas capas pretas
Espreitam e sarcásticos arquitetam
Inéditas formas de corroer as almas do bem.

Eles são corvos
Trazem em si uma peçonha negra
Que se alastra ofensiva minando as energias
Fazem com que nada funcione e tenha nexo
E dispõem e comandam: que paradoxo!

Os corvos são negros
Negros como a noite da alma
Dos que, infelizmente, povoam o mesmo espaço
Enquanto clamam aos céus compaixão:
Que lhes cortem os pescoços duros e impiedosos.



Visitem Alba Vieira
.
.

Espera - por Ana

Hoje acordei meio sem jeito, meio desvinculada desta vida, meio desencaixada. Não estava com sono, nem ainda na terra dos sonhos, mas não estava totalmente por aqui. É como se meu espírito não tivesse voltado ainda de suas andanças noturnas.
Então me sento diante deste céu negro e começo a ver surgindo a primeira estrela cadente. Talvez isso acenda uma luz que diga à minha alma: Já é dia!
Enquanto isso permaneço pela metade (ou melhor, sem a maior parte), aguardando sua decisão de voltar a mim.
Como chegará ela, me pergunto, que humor trará de seus caminhos, que sonhos, que experiências, que sorriso, que melancolia? Só me resta esperar, meio oca, por aquilo que irá me preencher e fazer de mim a pessoa deste dia.
.

Liberte-se - por Poty

A mente tem que se soltar.

Livre para voar.

Deixar levitar a mente,
O corpo não...

...é como a pluma no ar!...

Quando a mente se solta,
O corpo voa.

Sinta-se livre!
Sinta-se leve!

Sinta-se como se fosse a ave a voar ao horizonte...
Sem que perceba se há algo a atrapalhar...
Quando se voa nada atrapalha...
Não tenha medo de fazer, reaja...
Fuja dele, faça sua fantasia, seu desejos e não se re-crimine...
Desfrute de tua satisfação...
Deixe ir embora a insatisfação.

Aproveite enquanto há tempo...
Poderá ser tarde quando quiser...
Deixe fluir a mente.

Sentimentos presos,
Desejos que se encontram no calabouço...
O mal é não realizar,
Doente fica se não externar...
Nem que seja no menor lugar...
Não precisa o mundo saber,
Apenas seja você.



Visitem Poty
.
.