Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 22 de março de 2009

Aprendizes de Feijoada - por Bruno D’Almeida

a João Cabral de Melo Neto



Se você está aprendendo algo de novo, aconselho que aprenda a fazer feijoada. A nossa vida é cheia de ingredientes e temperos, como amor, segredos, criatividade, tempo e sabor. Para quem deseja uma vida plena, feliz, cheia de objetivos alcançados, comece a dar valor também a coisas simples, como servir uma refeição a si e ao mundo, alimentando o corpo e a alma. Siga à risca a receita:

Selecione os melhores grãos de feijão. Ou seja, comece o quanto antes a determinar o rumo que vai seguir. Não importa se quer ser operário, doutor, artista, surfista ou astronauta, veja logo o que vai ser. Isto não significa começar novo, cedinho, mas assim que tomar consciência do que quer. Desta maneira, o saber se torna prazeroso, gostoso de aprender. Nunca aprenda por obrigação, mas sim porque os conhecimentos serão importantes para sua vida.

Todo mundo ouve dizer que os melhores mestres da culinária cozinham com amor. Por isso mesmo você deve amar o que faz. Cada coisa que você coloca na panela é um pedaço de si mesmo, suas emoções, anseios, sonhos e objetivos. Ame aprender, ame o conhecimento como o melhor bem imaterial que você tem. Tenha fome de conhecimentos. Um ser apaixonado pelo que faz é a única face colorida na multidão em uma foto preto e branco.

Feijoada é um prato diversificado, pois existem muitos tipos de feijão: mulato, branco e preto - assim como cada região utiliza ingredientes diferentes. Adaptar-se às necessidades e à realidade são elementos-chave para a criatividade. Saiba inventar possibilidades quando elas não existem, aprenda a superar a barreira imaginária das dificuldades. Se não dispuser dos mesmos ingredientes que os outros, invente seu próprio emprego, sua própria carreira, seu próprio pé-de-meia e de feijão.

Não se engane: aprender feijoada não é da noite para o dia. Seja persistente, não fique abatido porque o caldo salgou ou o feijão queimou na panela. Quando estiver aprendendo algo e as ideias ficarem difusas, ou qualquer problema tentar impedir, como trabalho, tempo, família, psicose ou histeria diante de nada dar certo, tenha paciência. Mais: não queira comer a feijoada antes de ela ficar pronta, a dor de barriga é companheira certa. Sua competência, inata de cada ser, mais a experiência, vão fazer os acertos reinarem. É por isso que minha mãe faz um feijão melhor do que o meu. Ela aprendeu há muito tempo, tempo que se valerá de me esmerar também. Mentalize que um dia seu feijão será o melhor. E que sempre pode ser ainda melhor. Acredite no poder das palavras.

De nada adianta cozinhar bem se ninguém conhece seus dotes culinários. Conhecimento não se guarda na gaveta ou no diploma pendurado na parede. Compartilhe suas ideias, troque conhecimentos, interaja, comunique-se com o mundo. Há sempre um toque especial, uma folha de louro, uma pimenta de cheiro, um jeito de refogar as carnes que você não havia percebido ainda, assim como o que você sabe poderá ser útil a alguém. Ao ensinar, você aprende, não necessariamente nesta ordem. A aprendizagem é para sempre, pense que sua melhor feijoada será a de amanhã.

Quando conseguir fazer uma feijoada maravilhosa, aquela que é reverenciada pelo silêncio de respeito e pela boca ocupada daqueles que a deliciam, terei cumprido minha missão. Nós, amantes do conhecimento, temos um sentimento muito íntimo, singelo e verdadeiro, uma emoção indescritível em saber que você aprendeu alguma coisa. Na verdade, não ensinamos você a fazer feijoada. Mostramos caminhos, conhecimentos, rumos, valores, para que você possa fazer sua própria feijoada, ou melhor, fazer sua própria vida. Seja feliz, tenha sucesso e nunca deixe de aprender. Bom apetite!



Pino Daniele e Nelson Motta (Versão), “Bem Que Se Quis” - por Alba Vieira

Bem que se quis
Depois de tudo
Ainda ser feliz
Mas já não há
Caminhos prá voltar
E o que que a vida fez
Da nossa vida?
O que que a gente
Não faz por amor?...

Mas tanto faz!
Já me esqueci
De te esquecer
Porque
O teu desejo
É meu melhor prazer
E o meu destino
É querer sempre mais
A minha estrada corre
Pro seu mar...

Agora vem prá perto, vem
Vem depressa, vem sem fim
Dentro de mim
Que eu quero sentir
O teu corpo pesando
Sobre o meu
Vem meu amor, vem prá mim
Me abraça devagar
Me beija e me faz esquecer...
.
.
.
.
.
.

Simplesmente Ser - por Ana

Ser nunca, nunquinha é simples.
Ser é complexo, é doloroso,
É extremamente confuso
E profundamente trabalhoso.

A gente se esforça um bocado
Pra estar bem... mais ou menos...
Mas com tantos seres vivendo
Neste mundo tão pequeno

É difícil não esbarrar
No stress do alheio,
Nas iras, nos maus humores...
Ser, neste mundo, é tão feio...

Quando eu for embora daqui
Disso não vou me esquecer:
Eu não quero nunca mais
Complexamente ser.

Quero ser só energia,
Uma alma levitante,
Passeando leve e solta,
Sem horrores desgastantes.

Aí, sim, vou concordar,
Aí, então, eu vou dizer
Que longe da humanidade
Dá pra simplesmente ser.
.

Fargo - por Escrevinhadora

Acabo de rever “Fargo”, dos irmãos Joel e Ethan Cohen. Gosto muito da simplicidade caipira da policial que desvenda a trama.



Sinopse: Cineclick
.
.
.
E você? Que filme gostaria de comentar?
Joel Cohen.

Saudade é o Bagaço do Amor - por Alba Vieira

Mote
Saudade é o bagaço do amor,
É só o que resta depois da paixão.


Bebemos néctar nos tempos de ardor,
Nada é pra sempre, fica ilusão,
É tanto enlevo, nem dá pra sentir
Que cedo ou tarde tudo vai ruir.
Notamos, um dia, acomodação,
Já é o começo da desilusão,
Saudade é o bagaço do amor,
É só o que resta depois da paixão.

Vem nostalgia de tanto esplendor,
A mente nos diz: quase tudo passou.
Sofremos, tentamos nos recuperar,
Porém, neste caso, não é pra tentar,
Melhor é aprender a dura lição:
Desapego nas coisas do coração.
Saudade é o bagaço do amor,
É só o que resta depois da paixão.
.

Dúvida - por Escrevinhadora

Será que foi das operadoras de telefonia brasileiras que Kafka tirou inspiração pra escrever O Processo?


Resposta a 3G, 1 Real e Arroz Integral, de Alba Vieira.
Franz Kafka

Agora! - por Thiago de Sá

Ainda continuo tentando,
Palavras certas em caminhos tortos.
Nem sempre as escrevo como quero,
Mas consigo o que espero.
Anseio uma boa reflexão,
Da ideia inteira
Ou da meia ideia.
Sempre será um bom mergulho na imaginação.
Se todo instante fosse um período,
A minha vida não tinha gosto.
Por que saboreio os segundos, os minutos, os dias...
O tempo todo e todo o tempo!
Vivo um instante após o outro.
Nesse instante agora sou você.
Assim como você está em mim...
Por uma ideia,
Por um pensamento.
Por um instante onde eu e você
Nos cruzamos por palavras mau escritas.
E regras gramaticais abolidas.
Este momento é tão meu quanto seu!
Só seu e meu.
.

Mário Quintana - por Ana

Mário Quintana é Mário Quintana!
O cara é fantástico!
Depois vou deixar umas passagens dele aqui.
Ele é genial!



Comentário em “Recado”, de Leo Santos.
.
.
.
E você? Que autor considera genial?
.

Indignação – por Alba Vieira

Valei-me, meu Deus!
Não é justo crianças
Dormindo ao léu.
.

Paulo Freire e a Esperança – Citado por Penélope Charmosa

Pensar que a esperança sozinha transforma o mundo e atuar movido por tal ingenuidade é um modo excelente de tombar na desesperança, no pessimismo, no fatalismo. Mas, prescindir da esperança na luta para melhorar o mundo, como se a luta se pudesse reduzir a atos calculados apenas, à pura cientificidade, é frívola ilusão. [...] É por isso que não há esperança na pura espera, nem tampouco se alcança o que se espera na espera pura, que vira, assim, espera vã.
.

Michael Lynberg e as Rugas - Citado por Therezinha

.
Os anos deixam rugas na pele, mas a falta de entusiasmo deixa rugas na alma.
.
.

Aparição - por Raquel Aiuendi

Apareceu na tela
Um arquivo do word
Intitulado:
Estilo do Tracejado
Por mim
Não arquivado.
.