Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 31 de janeiro de 2010

Tema do Mês de Janeiro: Fronteiras

.
.
Caríssimos amigos:
.
.
Hoje foram publicados os textos referentes ao tema do mês de janeiro: “Fronteiras”
(segundo colocado na enquete de novembro).
.
.
.
.
Participaram:
.
.
Aaron Caronte Badiz
.
.
.
Ana (2)
.
.
Dália Negra
.
DEP
.
.
.
.
Lélia
.
Nan
.
.
Soraya Rocha
.
.
.
.
.
.
Muito obrigado a todos que colaboraram com esta “blogagem coletiva”!
.
.
Um grande abraço!
.
.

Amor sem Fronteiras - por Aaron Caronte Badiz

Meu amor:
.
Hoje venho lhe dizer que por todo o tempo que convivemos eu me senti um com você. Somos um casal com nossas diferenças pessoais, com nossas formas individuais, tão distintos um do outro... Mas ao mesmo tempo somos um mundo à parte de todos, um mundo harmônico, das mesmas palavras, das mesmas ideias, do mesmo pensar.
Somos um, meu amor, somos um só. E nós, dentro destas fronteiras que nos separam do que há lá fora, não temos nenhuma fronteira entre nós. E por isso eu te agradeço hoje e sempre.
.
.....Com carinho,
..................Aaron
.
.

Fronteiras da Alma - por Adriana Nunes e Nan

.
.
Foto: R. Conther
.
.
.
Fronteiras... É difícil cruzar fronteiras?
Demorada, árdua e temível travessia?
Fronteiras íntimas... Fronteiras do autodescobrimento...
Prisões sem paredes... Escalas da alma... Ilha do Individualismo...
Essas, se não são as mais difíceis, são da mais gratificantes de serem alcançadas...
Buscar valores soterrados no seu íntimo. Encontrar-se com a vida. Agigantar-se e humanizar-se... Olhar o mundo não mais com lâminas baças de vidro que distorcem a realidade...
Todo ser humano precisa cessar a correria alucinada para lugar nenhum, minimizar a saudade, preencher a solidão, acalmar a ansiedade, evitar a dor...
Identificar as necessidades da sua realidade emocional, das aspirações legítimas, as reações diante das ocorrências do meio...
A busca de si mesmo, para a liberação de conflitos, amadurecimento psicológico, afirmação da personalidade, resulta de uma consciente disposição para meditar...
Livre, que se domina e se conquista, esse sim é o ser que se ultrapassa...
O homem é pássaro cativo fadado a grandes vôos e só terá paz interior quando transpuser suas fronteiras íntimas, quando deslocar para o passado seu estado atual de vazio...
Ter ouvidos para ouvir os discursos da alma. Registrar a melodia dos próprios ritmos interiores...
Fronteiras... O amanhã será muito melhor... Usar a simplicidade do coração... Tudo o que acontece com nossos corações tem fundamentos, por isso olhe pra dentro de você e acredite que você pode e vai conseguir... Somos apenas um espaço que a vida ocupa... Responsabilidade com o meio...
Entre o certo e o errado existe o necessário...
Somos únicos e especiais, nunca tente entrar numa forma... Vai faltar ou sobrar espaço...
.
.
.
Visitem Adriana Nunes
.

Somos Todos Um - por Alba Vieira

Que fronteiras pode haver
Olhando do ponto de vista da emoção?
Quando o homem vai entender
Que fazemos parte da mesma amplidão?

O que separa é sem valor
Por que insistir na posse?
Criamos um mundo sem cor:
Viver só na matéria não traz sorte.


Se há caminhos, há espaços distintos
E, portanto, fronteiras existem
Mas se seguimos nossos instintos
Semeando amor, dissolvemos todos os limites.
.
.
.
............................Visitem Alba Vieira
.

Trilhas - por Ana

passeio a língua na tua boca
a boca na tua língua
eu te pinto de carmim
meu sangue nas tuas veias
exalo tua paixão
recolho tuas vontades
atendo os teus desejos
num mar de serenidade
eu abandono meu mundo
nas trilhas de tua pele
somos um só universo
sem fronteiras que o revelem
.

Fronteiras - por Cacá

“Eu já subi demais
Eu já desci demais
Eu já fiz coisas que um jipe não faz”
(Cantiga entoada em minha cidade na época de menino.
Autor desconhecido)
.
.
.
Quando menino eu precisava sempre subir um morro, seja para matar a curiosidade, seja para simplesmente atingir o outro lado das montanhas da minha cidade indo para a escola. Era a minha fronteira. As montanhas de Minas sempre foram as minhas fronteiras geográficas. Lá de cima é que a gente tomava conhecimento que o horizonte era um infinito de possibilidades.

Quando conheci o mar eu não gostava de voltar para casa. Ficava olhando lá naquele lugar onde criança achava que ele faz a curva e entorna. Acho que não é só do espaço que dá para perceber a forma arredondada da terra; no mar também, pois era nítida a minha sensação de que lá naquele local onde a vista alcançava o fim do horizonte, o mar entornava. Imaginava que ali ninguém podia chegar, sob o risco de cair num buraco que representava o fim do mundo físico. Eram estas tão somente as minhas fronteiras.

Depois a gente cresce e o significado de fronteiras passa a ser mais ameaçador do que montanhas e águas derramadas no redondo fim do mundo. Até porque, limites a gente passa a conhecer pouco a pouco. Durante a fase de crescimento, são os pais dizendo que isso pode e aquilo não pode; é a escola com seus ensinamentos de sociabilidade, por si mesmos repletos de limites. Para os que possuem alguma religião, é ela, talvez, a que impõe mais fronteiras, através da intimidação psicológica, o que limita mais a gente, se não conseguimos separar a fé no divino da subserviência cega a preceitos e cânones. Tem depois o patrão que, puxa vida, vai colocar limites assim, lá não sei onde... Mesmo para quem cria a possibilidade de não depender dele, enfrenta limites na concorrência como empreendedor ou autônomo.

Aprendemos a respeitar um tanto de coisas importantes outras nem tanto. Mas os limites aprendidos têm também a função de fornecer discernimento e ajudar nas escolhas futuras.

Certo é que não vejo possibilidade de vivermos a não ser cercados; numa liberdade que tem no seu próprio conceito social amarras com nós indestrutíveis e outros que são apenas laços que podemos afrouxar às vezes em busca de mais liberdade, sempre tentando minimizar o que nos é fronteiriço. E nisso entra o pensamento, a única liberdade da qual podemos gozar sem nenhuma fronteira.
.
.
.
Visitem Cacá
.

Véus - por Dália Negra

.

.
.
.
Invisível véu dos meus sonhos
.Que transforma o mundo em algo bom.
..Estranho véu, a minha vida,
...Que me foi dada como dom.
...Parco véu, a esperança,
..Que não me cobre o necessário.
..Véus que uso como fronteiras
.Neste mundo temerário.
.
.
.
.
.
.

Elástico Frouxo - (Anônimo)

Ter de volta minhas fronteiras
Com adjacentes que eu escolha
Tudo limpo, sem sujeiras
Um jardim, flores que eu colha...

Onde estão os meus limites?
Onde foi que se perderam?
Eu tenho alguns palpites
Foi crueldade, me prenderam...

É demais, é de alargar
essas invasões de espaço
Não vou mais me esforçar
desfaço de vez este laço.

Mas mando embora o encosto
Ainda me resta seu rebento
Que até aqui me deu desgosto
Desse encontro me arrependo.

Não quero mais hoje ser forte,
com desprezo vejo a esperança
quero algo que de uma vez corte
e não reste nem lembrança.

Com cheiro, gosto na boca
Que me lembra naftalina.
Coisa velha, seca e oca
Espanta qualquer menina.

É triste demais pra mim
pois não o deixa com opção
Será mesmo este meu fim?
Ter gastrite por seu bafão?

Talvez se pervertido não fosse,
e incesto socialmente admitido...
A solução o passado já trouxe:
Jocasta e Édipo, eles, casal travestido.

E eu reencontrava a fronteira
que esse trauma me tirou.
E enfim se esgota a bobeira
Que de surtar me livrou.
.

Fronteiras - por Esther Rogessi

.
.
.
.
Esse é um tema bastante abrangente. Podemos dar asas à imaginação... O sentido etimológico da palavra define-a por ponto determinante de um ‘limite’. É a pedra, o ponto, onde sabemos começar e/ou terminar uma área, quer seja em terra, mar ou ar. Objetiva os nossos direitos, trazendo para cada um de nós a conscientização de que não somos únicos e não estamos sós no planeta. Ele não gira exclusivamente e nem isoladamente para um ou alguns, porém para todos.
Ela é precisa, determinante! No entanto, é também... ponto de unificação. Temos que acatar a verdade concreta – demarcada por uma pedra, cerca, muralha etc., visível e silente, até o momento de sua ultrapassagem sem aviso prévio e a sua devida licença –, de que o nosso direito termina onde começa o do próximo...
Em se tratando, de forma pertinente, sobre ‘Literatura Virtual’..., façamos uma analogia sobre a temática em questão: ‘Fronteiras...!’ Verdade é que se fala muito sobre liberdade de expressão escrita e questionamentos outros, pertinentes ao já exposto. Poetas, escritores e aspirantes desejam a liberdade de se expressar sem que venham ser constrangidos pela imaturidade e até distúrbios psíquicos de tantos quantos se dizem escritores e poetas, mas não se dispõem a aceitarem idéias, ideologias e/ou posicionamentos, sobre temáticas múltiplas, contrárias às suas... crendo estar sendo ofendidos, ao identificarem-se com as tais. Em se tratando de escritos religiosos... É com pesar que observo e concluo o fato de que o Senhor Jesus continua sendo crucificado a cada dia. Mesmo após dois mil anos. Pois todas as religiões, todos os credos, ou falta deles, quando expressos literalmente, são respeitados e/ou pouco discutidos, questionados, enquanto que, quando se expõem verdades bíblicas – quer cristãs católicas ou evangélicas, o Deus é o mesmo –, surgem inquietações, discordâncias e até mesmo falta de respeito pelos escritos expostos – ultrapassagem de fronteiras, limites! –, o dever universal do reconhecimento da individualidade do ser humano, sobre suas ideologias e/ou fé. O macumbeiro se expressa e ninguém vai de encontro às suas crenças, o espírita, o budista, o satanista... idem! Porém, ao escrevermos sobre passagens bíblicas... Logo, alguém se pronuncia dizendo: “cada um tem o direito de exercer a sua fé!O mais espantoso é que estes não se apercebem de que esta frase denota perseguição, opressão e discriminação por parte de quem se acha discriminado! Como se pode entender...?
Cristo continua e será sempre O CRISTO!
.
.
.

Fronteiras - por Kbçapoeta

.
.
Alguém verá acontecer.
Será o belo dia
Que não haverá propriedades,
Não existirão cercas ou arames farpados.
Todos poderão andar do sertão brasileiro
Até as geleiras internacionais,
Não encontrarão dentes cerrados nas fronteiras.
Não haverá fronteiras, cancelas ou portão.
Compreenderão que a terra é a mesma,
Somos todos irmãos.
Será abolido o interesse escuso
Que fabricou carimbos
E a estupidez,
Que nos separou em fronteiras.
.
.

.Visitem Kbçapoeta............
.
.
.

Fronteiras - por Leila Dohoczki

Frias e tênues linhas por sobre o mapa
Dividem o mundo em tantas partes diferentes
Marcando o espaço de todo ser vivente
Separam chãos, separam gente.
Que na busca incessante de liberdade
Prendem-se entre quatro paredes
Vivem até que seu tempo ultrapasse
Os limites da vida, a morte.

Ai, gente sem sorte!

Choram guerras e fome
A doença sem cura,
A vida tão dura
Que o próprio homem criou
Nas diferenças impostas
Por seu desejo de posse
Nada dividem que possa
Ser de todos, consorte
O saber guardado
A verdade fracionada
Que não cura, não responde, não salva,
A existência num barco à deriva,
Gente que teme o naufrágio e espera salvação.

Temem a morte, mas separam vidas
Querem a sorte, praticam o azar
Têm em todos os limites a origem
No triste limite em amar...

Pobres detentos!

Prisioneiros de si, nos limites do próprio pensamento
Que em ilusório sentimento de glória e de poder
Vivem assim, na mais limitada experiência do ser
Entre dores, falsos sorrisos e amores
Nas duras penas da luta em ter sem possuir...
Olham por entre as grades de momentos lúcidos
A vida sem fronteiras, um novo amanhecer, mas temem!
E continuam presos em si.

Incapazes de atravessar a fronteira entre o ser e o existir...
.
.
.................................................................Visitem Leila Dohoczki
.
.

As Fronteiras - por Lélia

.

Entre todas as pessoas há fronteiras. Às vezes elas são nítidas, às vezes não. Algumas pessoas deixam bem claro que não há como chegar até elas e que você deve manter distância, outras agem como se suas fronteiras não existissem. Mas não há forma melhor de ultrapassar as fronteiras humanas possíveis do que através de um caloroso e amigo abraço.
.
.

Menos que Fronteira, Parte Distância - por S. Ribeiro

erramos erramos e esquecemos este exato momento

sonhamos tramamos consideremos os travesseiros que assim sem ousadia não nos tenho

corpo sim porque não inventas algo para que paremos e reivindiquemos aos sábios, momentos

em silêncio denuncio formas de amuleto formas de silêncio verdades no limite

da minha mão solta e suja
manufatura de fronteiras
eis que invoco aos deuses dum plano ou de um morro
que te esqueça no rio fronteiriço de
meus pés

me puxe que temos entre nós somente pelos não cercas eletrificadas
me mostre além de meu país tuas tundras tuas vergonhas teus espelhos
.
.
.
Visitem S. Ribeiro
.
.

Fronteiras - por Soraya Rocha

.
Há fronteiras por toda parte
Há fronteiras de toda sorte
Há fronteiras sem alarde
Há fronteiras de todo porte
Há fronteira que em mim arde
Há fronteiras que são cortes
Há fronteira no fim da tarde
Há fronteiras que são fortes
Há fronteira que me parte
Mas... há fronteiras que são sorte
.
.

Desafios - por Tércio Sthal

No front que ao ser afronta,
marcos que desafiam a fronte,
fronteiras a se levar em conta,
por obstruir novos horizontes,
testar limites, recursos, fontes,
em fases que amedrontam.

As fronteiras sempre demarcam
o lado de lá e o lado de cá,
e tentam prender quem está
de um ou de outro lado da marca.
.
.
.
Visitem Tércio Sthal
.

A Invasora de Sonhos - por vestivermelho e ZzipperR

Cansado desse mundo real, deitei em minha cama macia abraçando o meu travesseiro, apertando-o em meu rosto descansando em seu cheirinho aconchegante e perfumado na suavidade do lençol, como se estivesse deitando sobre as nuvens.
Meu corpo cansado se tornou um estranho para mim e o deixei abandonado partindo para o sonho, deixando um peso para trás e navegando leve, rolando sobre o lençol e me entregando aos poucos, abrindo a minha mente e saboreando um universo sem fronteiras.
Entrei em um paraíso onde o irreal é real para mim e a alma corre livre e gritei com eco no vento:
Traga o amor pra mim!
E ouvi o eco das minhas palavras distantes:
Traga... traga... traga... O amor... o amor... o amor... Pra mim... pra mim... pra mim...
Escutando os meus apelos, o sonho me levou em seus braços para longe, um mundo distante e leve, solto como uma pipa flutuando solta no ar e sem saber onde cairá.
Sonhando eu vejo o mar e sinto uma vontade louca de te amar, me perco nos pensamentos e saio correndo querendo abraçar as suas ondas.
No sonho encontro uma flor inspirando o calor do amor, corro e a pego, vendo uma abelha invasora de sonhos pousar em minha flor, sugando o néctar do amor.
Porque invade as fronteiras do meu sonho abelha dourada?
Tento expulsá-la do meu sonho e sinto seu ferrão cravar em minha mão trazendo uma dor aguda e profunda, que sobe pelo meu braço invadindo o meu peito e dominado pela abelha invasora eu deito.
Indefeso e alucinando com os olhos fixos no céu azul, a vejo como uma grande águia voando rápido em minha direção, pousando no meu peito, cravando as suas garras no meu coração e levando embora.
Sem limites ela invadiu as fronteiras dos meus sonhos. Se eu sonho com o sol ela é a lua, se sonho com a flor ela é a abelha, se sonho com o galho ela é a folha e se sonho com o amor ela é a flor.
Não consigo mais sonhar sem ela, pois sem a invasora de sonhos sou um homem sem coração e abandonado pelo amor.
Sem ela eu não existo
Sem ele eu não existo
.
.
.
Zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz e Vvvvvvvvvvvvvvvvvvvvv
VruummmmmmmmmmmZummmmmmmmmmmmm
.
.
.

Um Lutador - por ZzipperR

Entre tantas pessoas ele vivia sozinho, isolado da vida, das pessoas e do amor, se escondendo em um quarto escuro e abandonado, fugindo de uma luta interna onde teria que se enfrentar com medo de ser derrotado.
Girando em sua cabeça havia um anjo, não sei se era criação da sua própria mente ou Deus mandou alguém em seu socorro. O anjo brilhava com uma luz pacificadora prateada iluminando seu cantinho.
O quarto úmido gelava seu corpo, que tremia desejando vitaminas malditas, alucinantes da escuridão, que o levavam mais e mais para o fundo, onde a luz partiu desprezando seus sentidos, confundindo seus sentimentos, vontades e raciocínio, com golpes que o faziam rolar no chão.
O anjo prateado não o abandonava mesmo nos momentos em que ele fugia se esquivando da luz e permanecendo rolando no chão conflitando consigo mesmo, abandonando seus amigos e se entregando aos pesadelos, pois já não conseguia mais sonhar, ele foi abandonado pelo sonho.
Numa luta entre o bem e o mal uma visão anestesia seus pesadelos, um flash prateado invade seus olhos fechados lutando contra o lado escuro da vida, deixando-o encurralado em um beco escuro, incapaz de reagir, envolvido e nocauteado pelo mal.
Sem luz a vida é derrotada pela morte, seu corpo não reage e ele implora para morrer, seguro apenas pela luz prateada de um anjo lutador aliviando a sua dor e seus conflitos.
Uma visão prateada de um anjo que invadiu o seu inconsciente, no subconsciente da alma pedindo silêncio e equilíbrio na escuridão dos olhos e da vontade valente de vencer uma luta entre o ser e o não ser, virando as costas para a vida.
A morte e o anjo lutando pelo grande troféu. A morte usando seus golpes alucinantes e depressivos, apagando a luz da vida e jogando-o em um labirinto, insistindo em sua desistência e entrega da alma. O anjo segurando sua vida com um raio prateado de luz injetando uma poção de amor, que o mantém vivo e lutando.
Depois de muita luta o anjo penetra em sua mente doente, levando uma visão doce de paz. Uma brisa suave em sua mente quase derrotada que começa a reagir lentamente, chamando-o de volta à vida, às belezas do mundo iluminado pelo amor a si mesmo.
Oferecendo-lhe a mão, o anjo prateado entrega-lhe o grande troféu. Sua vida que ele conquistara de volta, sendo um grande lutador com a ajuda do anjo prateado do amor, que é uma ponte aliciadora do amor, da vida e uma luz divina.
Luta lutador! Luta a favor do amor e da vida levando luz e amor como consolo e paz para outros que também se perderam na escuridão e precisam de alguém para segurar as suas vidas com sua paz iluminada, levando flashes de amor às suas almas perdidas e desnorteadas em alucinantes mortais.
A luta continua incessante pela vida mesmo perdendo algumas batalhas vencidas pela escuridão, levando a vida embora e enquanto tiver uma gota de esperança, terá um anjo prateado procurando uma maneira de levar luz à alma e injetar amor no coração para trazê-lo de volta à vida, mas para isso você precisa ser um lutador e nunca se entregar atravessando a fronteira da vida para a morte.
.
.
.
Zip...Zip...Zip...ZzipperR
Um anjo prateado...........
.
.
.
Visitem ZzipperR
.

O Roçar da Vida - por Ana

Divisas, limites, muros,
Tapumes, painéis, divisórias...
Do outro lado de cada cerca,
Muitas distintas histórias.

Histórias que são rumores
De vidas iguais às nossas.
Mas cada um com seu arado,
Tão diferentes as roças...

Uns que plantam pimenteiras,
Outros, pomares em fim,
Há os que constroem cercas,
Os que adoram capim.

Aqueles que roçam cedo,
Os que deixam ao Deus dará,
Os que preferem roseiras,
Outros, um pé de cajá...

Há plantios bagunçados,
Os de comigo-ninguém-pode,
Há cafezais bichados,
Os que alimentam bodes.

Bananais apodrecendo,
Roçados comunitários,
Hortas sem um cercado,
Há os latifundiários...

Mas o que quer que a gente plante
Nas fronteiras de nossas vidas,
Sabemos: vamos colher
Conforme a semente escolhida.
.

Fronteiras Invisíveis - por Cacá

Quando penso em fronteiras me vem à mente um outro pensamento não geográfico. A normalidade e a loucura. Essa é a minha fronteira imediata para pensar. Até onde vou com meu pensamento? Até onde a loucura não é o que me conduz? E que referências uso para diferenciar loucura de normalidade, senão um conceito que eu mesmo estabeleço de fronteira, de normalidade e de loucura?
Ai, meu Deus, acho que entrei por um caminho que não sei onde vai dar! Então, estou no limite. Agora, aqui escrevendo, acho que sim. Nas ações, um discernimento fala mais alto, pois provavelmente terei reações, como na lei da física. E tem muitos atos com que posso desagradar a mim mesmo ou ao próximo. Então sou um pouco mais definitivo quando ajo do que quando penso. Lógico, não? Pronto, outro limite!
Entre tantas escolhas à disposição, a única certeza que fica é que não posso parar no meio do caminho. Afinal, a vida tem uma fronteira bem absoluta que é o seu fim a qualquer momento.
.
.
.
Visitem Cacá
.