Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quarta-feira, 30 de maio de 2012

Não Mates os Teus e os Meus Sonhos - por Esther Rogessi

.
.

.
.
Os sonhos que deixamos para trás... foram sonhos e nada mais!... Tudo quanto possamos conquistar na vida, nasce de um sonho... de um projeto gerado no imaginário e que tomou dimensões concretas. A princípio, em forma de rabiscos, rascunhos, interação, até a ação de fato!

Planos bem ou malsucedidos... Geridos de um sonho que acalentamos como se pode acalentar um filho...! Sim, um filho... Pois ‘projetos’ são tais quais os que geramos no ventre – filhos. E o quanto cuidamos e nos dedicamos a eles...! Porém, por mais cuidados que possamos ter, desde o ventre até sempre... – para uma mãe, filhos serão sempre filhos; mesmo que estes venham a falecer, a mãe dirá em recordação: meu filho...! – corremos o risco de vê-los trilhar caminhos que não traçamos e viver o que não planejamos. Mesmo que assim suceda, jamais devemos desistir dos nossos filhos, seria desistir de nós mesmos... Não importa em qual situação estejam e/ou cheguem, desde o sucesso, a ascensão, até a escória, prisões... Serão sempre os nossos filhos! A verdadeira mãe o é na gestação, no nascimento, no crescimento, na ascensão e na apostasia do seu filho por suas raízes e/ou ensinamentos.

Como desistir do que geramos...? Como desistir dos nossos sonhos?
Para quem está fora da situação é fácil dizer: Desista! Não vale a pena...! Pois não sonhou os nossos sonhos; nem ninou os nossos filhos...

Devemos zelar por um ‘projeto’ tanto quanto por um filho... Termos a responsabilidade de perseverar, acreditarmos nele antes de todos... é nosso! Façamos a nossa parte. Independendo de nós, havendo rejeição natural - aborto -, sofreremos, porém com a sã consciência do dever cumprido. A negligência será tal qual o veneno tomado para matar o que ainda estar no no ventre. Há mães que não conseguem suster o filho no útero – e isso, independe do querer próprio –, em muitos casos, o desejo de tornar real a maternidade leva mulheres à procura da medicina, para obtenção de meios que as capacitem a gestação, por muitas das vezes alcançando o sucesso desejado.

A essa busca podemos chamar perspicácia, perseverança... Imprescindível no caráter idealizador. Antes de tudo temos que crer, acreditar no nosso sonho, defendê-lo! É o nosso filho! Está sendo e/ou foi gerado em nós... Não o abortaremos!

Pessoas transformam suas vidas em uma ‘colcha de retalhos’... Mostruário de todos os sonhos que de sonhos não passaram... E que terão diante de si, ao longo de suas vidas, sem que os tenha vivido. Outras... anunciam projetos precoces, conduzem outros a sonhar, a acreditar no que era desacreditado, e, bruscamente, sem aviso prévio, os aborta de forma irresponsável. Sendo e fabricando perdedores... Começam algo acreditando no sucesso, porém, diante das dificuldades primeiras, esmorecem, calam, desistem...

Os nossos planos têm que ir ao encontro e jamais de encontro aos nossos propósitos. “A desistência é o combustível para a incapacitação, e esta, é o veículo que conduz o homem ao fracasso”.
.
.
.
.
.
.
.
.