Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




terça-feira, 21 de abril de 2009

As Nossas Palavras VII

.
Wordle: As Nossas Palavras VII
.
Clique na imagem para ampliar.
.
.
.
Imagem: Wordle
.

Mahatma Gandhi em As Nossas Palavras VI - Citado por Adhemar

.
As coisas que queremos e parecem impossíveis só podem ser conseguidas com uma teimosia pacífica.


Visitem Adhemar
.

Tratamento de Choque - por Ana

Não gostei. Exagerado, estilo besteirol, com direção absolutamente comercial. Horrível! Não gosto nem de ver os anúncios.



Sinopse e trailer: Cineclick
.
.
.
Resposta a Um Estranho no Ninho, de Luiz de Almeida Neto.
.
.
.
E você? De que filme não gostou?
Peter Segal

Augusto dos Anjos - por Ana

Eu - Augusto dos Anjos



“De Augusto dos Anjos li Eu. Há coisas lindíssimas!”
.
.
.
Resposta a “Obras”, de Leo Santos.
.
.
.
E você? Que autor você gostaria de comentar?
.

Duelando Manchetes II: Preconceito Racial - por Aaron Caronte Badiz

- Oi, Samanta! Tudo bem? Como foi lá na inscrição?
- Tudo bom.
- Por que está com esta cara, então? O que te aborreceu?
- Estava cheio e muita gente estava falando em fazer Medicina.
- Mas você já sabia que era bem concorrido. A sua parte você já está fazendo, que é estudar.
- É verdade.
- Mas não é só isso... Tô vendo que tem mais coisa...
- Essa coisa de cotas... Quando preenchi o formulário, li o lance de cotas e já me incomodou. Depois, o pessoal lá tava comentando que o percentual vai aumentar no ano que vem. Isso não tá certo! Se eu não passar este ano, no ano que vem vai ficar mais difícil por causa deste negócio de cotas. Não tá certo! Isso é inconstitucional! Todos devem ser iguais perante a lei! Isto é um absurdo!
- Mas você não compreende a premissa do Governo? A ideia é diminuir a desigualdade social...
- Não é desta forma!
- Pode ser... Daqui a alguns anos, em médio prazo, mais negros terão curso superior e isto ajudará a equilibrar um pouco a situação de desequilíbrio social em que vivemos...
- Mas não é desta forma! Primeiro, quem disse que só afrodescendentes são impedidos de entrar para a faculdade por questões financeiras? Se queriam igualar, que fosse por critério econômico e não racial!
- É verdade...
- Segundo, se querem dar melhores condições a quem não tem, que melhorem os ensinos básico e fundamental para que todos tenham as mesmas oportunidades. Esta medida de cotas é injusta e inversamente discriminatória! Como é que querem resolver a discriminação invertendo a mão?
- É verdade!...
- Além do mais, não sei quantas pessoas vão entrar para a faculdade tirando notas mais baixas que outras! A cor vale mais do que o conhecimento!
- Mas a ideia primeira das cotas é esta mesmo.
- É?! E daqui a alguns anos, que profissionais nós teremos? Que ensino superior público nós teremos?
- Os professores não vão baixar o nível das aulas porque alguns alunos não acompanham...
- Não? Tá certo, digamos que não... O que estes alunos vão fazer? Vão é ficar reprovados até serem jubilados, porque não têm condições de acompanhar o curso. Então tiraram a vaga de quem tinha condições à toa! Só para eles sentirem o gostinho de entrar para uma pública?
- Bem... Creio que eles se esforçarão para não desperdiçarem a oportunidade.
- Mesmo que façam isso, não serão todos e as vagas irão para o beleléu!
- Mas no sistema anterior isto também acontecia, por outros motivos. Há um índice considerável de desistência no primeiro período na maior parte dos cursos das instituições públicas.
- Mas o Governo vai agravar isto! Só vai piorar esta situação então! Será ainda mais um motivo para que isto aconteça!
- Não creio que obrigatoriamente seja assim... Teremos que esperar um tempo para que esta avaliação seja feita com base estatística. Eu arriscaria dizer que o índice de evasão entre as pessoas que entraram pelo sistema de cotas seria bem menor que os de não-cotas. Mas não adianta a gente ficar discutindo este ponto, porque são só especulações.
- Tá certo... Mas uma coisa não é especulação e me assustou muito hoje: foi um sentimento que tive e que sei que outras pessoas devem ter também, de forma arraigada e com consequências graves. Você sabe que minha melhor amiga é negra, meu pai e minha avó são mulatos, e nunca pensei no mundo dividido em pessoas negras e não negras, mas quando eu ia saindo da inscrição hoje vi um garoto negro chegando e tive vontade de que ele não existisse.
.

Semear - por Alba Vieira

Estou num imenso jardim onde exercito aquilo que mais me fascina. Não é um jardim como aquele que conhecemos e sim um outro com os mesmos atributos. No jardim do mundo semeio novas ideias. E fazendo isso não busco reconhecimento, mas o faço apenas por hábito. E esta tarefa obedece às regras da natureza.
No plantio, havemos de escolher o momento certo em que a terra-gente pode receber a nova semente. E esta, dependendo da planta que se espera, não pode simplesmente ser lançada. Teremos que cavar um sulco na terra, um ponto de menor resistência deve ser aberto para abrigá-la. Molhar o solo frequentemente se faz necessário. E o semeador de ideias fará isto trazendo exemplos de casos bem-sucedidos que funcionarão como a água fertilizadora da semente. E quando, num milagre da existência, a planta-ideia florescer, será preciso vigiá-la para que não fique exposta às intempéries do tempo. É que frequentemente as novas ideias e seus defensores são alvo daqueles que desejam manter o que está arraigado. É o peso do convencional.
Depois, quando vingar, a plantinha deverá crescer para ser vista por muitos neste imenso jardim. E é necessário protegê-la dos depredadores, aqueles que são devoradores de novas ideias que, como tratores, egoisticamente passam por cima do projeto de árvore, impedindo a propagação do novo.
Mas não basta protegê-la, é necessário também guiar seus ramos, impedindo que se desvirtuem do tronco, alterando aquilo que foi inicialmente proposto.
E o verdadeiro jardineiro não se dedicará apenas a uma espécie de plantas. Ele irá diversificar, espalhará várias ideias, semeando em muitas áreas desde que encontre solo fértil.
E um dia verá plenamente desenvolvidas plantas de caules flexíveis que se movimentam ao sabor do vento, numa liberdade de se adaptarem tanto quanto se fizer necessário. Encontrará outras árvores rígidas, são os pensamentos que devem permanecer inalterados, que são a base, os troncos fortes que constituem a estrutura das ideias de uma civilização.
Assim, cada conceito, cada pensamento terá o seu perfil, sendo todos necessários e todos pertinentes. O jardineiro sabe disto tanto quanto a mãe que reconhece a diversidade de personalidade dos filhos, todos concebidos, gerados e cuidados por ela.
E obedecendo à ordem de todas as coisas, o semeador verá suas plantas-ideias, num determinado momento, ceifadas pelo tempo, entendendo que mesmo após a morte, partes destas suas ideias serão adubo natural que permitirá, no futuro, o nascimento, desenvolvimento e propagação de outras ideias originais, plantinhas novas, naturais ou híbridas. O que importa, no fluir do tempo, é, inevitavelmente, o surgimento do novo.
.

Senhora das Feras - por Ana

Em mim moram libélulas
doidivanas, prostitutas,
em levíssimas revoadas
gozam suas vidas curtas.

Em mim habitam leões
altaneiros, desdentados,
lutando por território,
cedendo ao tempo passado.

E em mim moram girafas
silenciosas, inteligentes,
comendo tranquilas folhas
enquanto rangem os dentes.

Moram, em mim, esquilos
assustados, maltrapilhos,
rondando a própria toca
enquanto cuidam dos filhos.

E em mim moram baratas
sorrateiras, incansáveis,
limpando tudo que encontram
desde tempos imemoráveis.

Ainda em mim há cachorros
aconchegantes, interessados,
dormindo sobre os sofás
por cima do próprio rabo.

Em mim moram animais
que rondam, limpam, revoam,
dormem, comem, guerreiam...
enquanto meus dias escoam.

Eu amo como libélula,
luto como um leão,
observo como girafa
e escondo como um cão.

Protejo como um esquilo,
purifico como as baratas,
sem contar os gatos, lebres,
tartarugas, maritacas.

Minha aparência humana,
sei, engana a muita gente
habitada por zoológico,
que nem de longe o pressente.

Mas eu vejo olhos de linces,
garras de tigres e águias,
corpos de carrapatos,
flexibilidades de tilápias,

armaduras de besouros,
impotências de joaninhas,
gestos de louva-a-deus,
diligências de galinhas,

crueldades de hienas,
inconstâncias de beija-flores,
pânicos de tatuís,
preocupações de castores,

individualidades de patos,
forças de elefantes,
tranquilidades de cisnes,
passos de rinocerontes...

Enxergo bem cada um
na diversidade existente,
pois reconheço em mim
naturezas diferentes.

E quando se faz necessário,
engravido, fico à espera,
de mais um que me defina:
eu sou a senhora das feras.
.

Albert Einstein e o Sucesso - por Penélope Charmosa

.
Procure ser uma pessoa de valor, em vez de procurar ser uma pessoa de sucesso. O sucesso é consequência.
.
.

Para SamurAi - por Raquel Aiuendi

.
Anda no sapatinho, mas ele escorrega.
.
.