Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Dúvida - por Raquel Aiuendi

Não sei se conceituo ou se sou conceituada por mim e o que faço é apenas uma expressão de conceito.

.

Você Faz Seu Futuro - por Alba Vieira

O medo daquilo que virá porque foi prometido através de um “feitiço”
mantém prisioneiro de seu desígnio
somente aquele que não reconhece o futuro
como mera possibilidade,
e não crê que poderá escapar
alterando alguma das partes
que compõem a sua formulação…
O que é sempre possível.

.

Bagagem - por Raquel Aiundi

.
Trago uma bagagem de vida futurista, que pode ser levada pra diante: é mais leve, mais barata e edificante.
.
.

Dança dos Chinelinhos - por Raquel Aiuendi

…dois chinelinhossão hoje
um coraçãona eternidade
de um amor-paixão…

(Para vocês dois que sempre serão um grande amor também para nós.)
.
.
Inspirado na "Dança dos Chinelinhos" de Zaira.
.

A Farmácia Interna - por Jair Antônio Pauletto

Em busca de um corpo mais saudável, as pessoas se submetem cada vez mais a dietas no mínimo esquisitas. Um amigo, percebendo seu corpo ficar cada vez mais arredondado, resolveu se submeter a uma nova dieta. Passado alguns dias, falou-me dos resultados com tanta convicção, que apesar de não observar nenhum resultado em sua aparência, dizia estar muito satisfeito. Acreditava ter encontrado a solução ideal, pelo fato de estar produzindo o próprio alimento de forma natural e orgânica. Fiquei surpreso e imediatamente perguntei como era possível produzir alimentos num apartamento, onde o espaço é tão reduzido. A resposta foi surpreendente ao dizer que apenas necessitava de sementes e água para produzi-los.
Perplexo, não imaginei nada que pudesse germinar ou crescer tão rápido a ponto de em duas semanas já estar apto para ser consumido, pois havia me esquecido que é possível cultivar brotos em apenas alguns dias através da hidroponia - técnica de cultivar plantas sem solo - pela qual as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água e todos os nutrientes essenciais ao desenvolvimento da planta. Era justamente isso que ele vinha fazendo, estava cultivando brotos de alfafa, feijão, rabanete, brócolis e uma infinidade de outras espécies que eu jamais havia imaginado ser possível. Afirmava que o consumo in natura ou em forma de suco estava lhe trazendo ótimos resultados, principalmente quanto a sua excessiva ansiedade, fator principal de boa parte de todos os seus problemas. A começar pela obesidade, fruto de uma excessiva ansiedade que o dominava desde pequeno. Os fatores eram tantos que psiquiatras e outros especialistas consultados, não tinham qualquer dúvida em diagnosticar a ansiedade generalizada, evidentemente associada a inúmeros outros transtornos.
Quinze dias após termos tido esta conversa, ele me disse que já estava testando uma nova dieta à base de fibras. Logo pensei no sofrimento que esta incessante procura deve proporcionar, bem como da surpreendente força de vontade que este meu amigo demonstra para encontrar uma solução para sua obesidade, ansiedade, enfim.
Hoje, ao ler uma reportagem que falava dos estudos da doutora Canadence Pert, uma respeitável pesquisadora americana, sobre a imensa farmácia que existe em nosso cérebro, lembrei deste meu amigo. A doutora Pert, que chefiou por treze anos estudos sobre a bioquímica do cérebro, descobriu que na região chamada de hipotálamo, o cérebro produz químicos denominados peptídeos, que alimentam nossas células, penetrando por receptores específicos. Assim, o que podíamos sentir na prática quando uma determinada emoção produzia uma reação passou a ser compreendida cientificamente, ou seja, cada emoção produz um determinado peptídeo que é lançado na corrente sangüínea e vai ao encontro das células. Para cada peptídeo existe na célula um receptor compatível, assim como uma fechadura e sua chave. Deste modo, por exemplo, um peptídeo produzido por um sentimento de amor, tem uma determinada forma, só pode ser absorvido se a célula possuir um receptor de forma compatível. Encontrando o receptor compatível ele penetra na célula alimentando-a, podendo modificar-lhe todo o núcleo. Talvez esteja aqui a explicação para as criações mentais, pois se tivermos continuadamente as mesmas emoções produziremos o mesmo tipo de peptídeos, com a ocorrência três conseqüências importantes:
A primeira é que as células vão se acostumando com aquelas emoções, isto é, com aqueles peptídeos que as alimentam, que por sua vez, terão cada vez mais fome, mais necessidade deles, exigindo-os em quantidade cada vez maior. Em outras palavras, assim como as células mandam mensagem exigindo mais comida, também enviam pedidos de mais amor ou qualquer outro sentimento que estejam acostumadas a se alimentarem. Está aí uma explicação que pode justificar a dificuldade que temos em abandonar um vício.
A segunda conseqüência é o constante bombardeio pelo mesmo peptídeo, ou seja, o mesmo estado emocional faz com que a célula comece a transformar receptores – fechaduras - para outros tipos de peptídeos, em receptores para os peptídeos provenientes das emoções mais intensas e mais freqüentes, iniciando assim um circulo vicioso. Simplificando, podemos dizer que a repetição faz o hábito.
A terceira é quando as células já viciadas, adulteradas, se reproduzem, gerando novas células com mais receptores, mais fechaduras para aquela determinada emoção. Assim, as novas células já nascem com uma necessidade maior daqueles peptídeos, fortalecendo a dependência. Isto vem confirmar as citações “a mente constrói o corpo” e “somos o que pensamos” entre outras.Dessa forma, podemos concluir que estas descobertas podem trazer uma importante contribuição para melhor compreendermos muitos transtornos emocionais, tais como: a raiva, depressão, ansiedade e a até mesmo a obesidade daquele meu amigo. Portanto, cuidado com as repetições, pois podem se tornar um obstáculo muito difícil de superar, uma vez que podem modificar o nosso próprio organismo.
Boa semana.



The Ghosts are the Way of the Life - por Luara Lua

Os fantasmas são a estrada da vida, fantasmas velhos ouvindo maestros velhos regarem sinfonias velhas, manjadas e lindas.
Fantasmas que são a estrada da vida ouvindo poetas, maestros regerem sinfonias velhas, manjadas mas lindas.
Fantasmas são poetas que vagam e, que são maestros regendo poesias musicadas, instrumentalizadas, velhas, manjadas e lindas.
Poetas são maestros vendo fantasmas regerem poesias e canções.
Poetas são maestros regendo poesias musicadas manjadas e lindas.
Fantasmas que são estradas da vida regam suas fantasias.
Fantasmas são maestros que vêem, poetas velhos regerem composições.
Fantasmas, poetas e maestros preservam sua felicidade, ainda que contida e depressiva.

.

Cada um tem seu lugar - por Jorge Queiroz da Silva

Cada craque em seu lugar.
O do futebol, nas linhas do tapete verde, traça seu sucesso.
O arquiteto traça o seu na aparência de suas idéias.
E o poeta e escritor destaca, nas linhas de qualquer texto, a beleza do seu sentimento.

.

Novos Tempos - por Alba Vieira

O mundo mudou, vem mudando a cada dia e o movimento é rápido demais para que possamos acompanhá-lo, a não ser que estejamos mais soltos.
Os seres humanos que estão nascendo agora trazem a marca dos novos tempos. São ágeis, flexíveis, carinhosos e desapegados.
Caso não possamos acompanhar este fluxo, nos sentiremos, a cada dia, mais inapropriados e infelizes.
O preconceito e a rigidez são inaceitáveis. Devemos buscar a harmonia, a ampliação dos contatos, a largueza das idéias e as relações baseadas no amor.
A dialética do bem e do mal já caiu por terra. Tudo é possível, desde que não fira o bem comum.
O amor deve permear cada atitude e a intenção é o que mais importa.
Nossos pensamentos devem ser educados, tanto ou mais que nossas ações.
A consciência de que tudo se inter-relaciona no planeta é importante. A vida inteligente se manifesta por toda parte.
A teia do universo é cada vez mais visível para aqueles que se habilitam a estender seus sentidos.
O peso advindo do mundo material deve ser abandonado. Temos que estar livres para podermos transitar entre os mundos.
Desapegar é preciso. Desenvolver algo além do amor pessoal também é mandatório.
Soltemos as amarras que nos impedem de enxergar o quanto é promissor e gratificante não ter medo do amanhã, confiar.
O que importa realmente é o instante que se vive plenamente, sem nostalgia do passado ou expectativas do depois.
Viver de forma mais simples sem ceder aos apelos do mundo material, mantendo o coração desapegado, livre de sentimentos pessoais limitadores, buscando desenvolver o amor incondicional, é a certeza de ser feliz.

.

Bolo Inglês - por Ana

Quem inventou de inventar
categoria “Bolo Inglês”?
Concordo com a Raquel:
gringo aqui não tem vez.

Quer comer coisa sem graça?
Pega avião, vai pra lá!
Porque, aqui, nesta terra,
Quero é bolo de fubá!


Resposta aos posts “Bolo Inglês”, de Raquel Aiuendi.
.

Bolo Inglês - por Raquel Aiuendi

Mr. Robert
Sou brasileiro
E expert
Na língua que falo
Rejeito e não calo
Que a cultura estrangeira
Me deixa avexado
Deixa o povo arretado
E por ter nascido em terras brasileiras
Digo que swing é rebolado.
Mr. Robert
Já falei que kike é pipa
E o senhor minha língua
Não repete
Power é força, você não liga
Girl é garota, boy é garoto
Não sou yelow and green
Sou amarelo, verde
Branco, azul anil, sim
Nasci muito, muito maroto
E se o senhor não chegar onde quero
Não vou render lero-lero
Vou cuidar do Brasil
Que por vocês anda a mil.

.