Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Você já Pensou em Escrever um Livro?: informações fundamentais para tornar-se um escritor de sucesso, de Sonia Belloto - por Alexandre

 
 
 
 
Temos aqui um livro que nos incentiva a escrever um!
 



Sonia Belloto nos conduz pelo processo de criação de um livro: já nos cativa a magia da leitura logo na introdução, e vamos seguindo de mãos dadas com ela: passando por dicas de escrita, criatividade, e, o que eu gostei muito de conhecer, a Jornada do herói. Mas aonde foi emocionante mesmo foi quando chegamos ao assunto editoras: apertei firme a mão que me guiava e continuei.
Sonia não mente: apesar da magia cativante dos livros, as editoras os veem como produtos comerciáveis, e afirma que o espaço para novos autores é muito limitado, compelindo assim os novos autores a procurar as editoras de demanda.
Enfim, é um ótimo livro que desmistificou para mim o que é escrever e publicar um livro.
.

Pesadelo e Sonho - por Raquel Aiuendi

Se o horror, o crime e os absurdos cometidos sobre essa terra em cadeia de humanos sobre humanos não têm cor, raça e razão; também o Amor é para todos independente de cor, raça e razão. O Amor é a causa das soluções e suas fórmulas; dignifica e transforma; edifica e amplia; o Amor é em si a Razão da lógica, sem o Amor não há lógica e a Lógica vai sempre se apresentar pela Razão do Amor.
Sobre quantos cadáveres, vítimas de horrores, a humanidade vai continuar a erguer-destruir-erguer nações? Vítimas, populações infinitas de vidas, que em nada contribuíram para a barbaridade contra elas... esse cemitério há de ser, um dia, se já não está acontecendo, a ‘areia movediça’ que irá engolir a podridão.
A dor dos horrores há sempre de ser o empecilho da evolução humana? Avançar em sustentabilidade através da inteligência-amor é mais difícil que a promoção em moto-contínuo de dor e consciência-dor?
Horrores são horrores. Para as vítimas, como todos o sabemos; e, também, para seus patrocinadores e agentes diretos (todos não dormem e, se dormem, têm pesadelos – o peso deles).
A humanidade se arrasta em pesadelos desde séculos a perder de vista; dissemina a doença plantada em sua existência e cultivada por indivíduos ao longo de todos os processos “civilizatórios”.
A pré-história ainda é; com diferença dos rótulos, mas a alma da humanidade se entrega à permanência consciente do estado pré-histórico. A alma da humanidade se aprisiona ao estado latente e se deixa manipular utilizando instintos de ferocidade e medo que distancia de outro estado latente de Paz e usufruto, de Amor e sustentabilidade.
.