Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Face Oculta - por Kbçapoeta


Eu queria ser alguém
Que não sentisse amor ou dor.
Que surgisse do nada,
Do lugar nenhum,
E desaparecesse no tudo.
O mesmo ser que toca as estrelas
Por nunca possuí-las.
O poder de toda dor revela
Um liame de contraste,
Um desamor que desapega
Como seda que virou traste.
Por moinhos vi gigantes
Com rocinante a galope
Ao presenciar um passarinho
Piar poemas, glosa e mote.
Natureza estranha se revela
Ao deitar em sua cama
Imaginando ser a cama dela.
.
.
.

.
.
.
..............................................Visitem Kbçapoeta
.
.

Meditar - por Alba Vieira

Como pena de pássaro flutuando,
Ao sabor da brisa indo parar
Onde o pensamento for levando.
Soltar-se meditando é salutar.

Relaxar o corpo progressivamente,
Cessar da mente o burburinho,
Ficar tranquilo e ser aquiescente.
Meditar é ser capaz de voltar ao ninho...

Até parece coisa de lunático!
Mas, na verdade, isso é só confusão.
Quem medita, jamais fica à parte,
Já que ela incrementa a atenção.

Mergulhar de cabeça no momento presente.
Ser capaz de integrar-se ao Universo.
Estar ligado a tudo realmente,
Sendo um com o Todo é o processo.

Mas, não se consegue isso só com a vontade.
É necessário aprender a ceder.
Entregar-se de todo e não pela metade.
Depois, é só deixar acontecer...
.
.
.....................................Visitem Alba Vieira
.
.

Bolero de Ravel - por Esther Rogessi

.
.

.
.
.
Enquanto lá fora o mundo ferve,
em meio aos frevos, marchas e ritmos outros...
Deleito-me no silêncio... busco paixões, tais quais a poesia e a música...
Ouço “Bolero de Ravel” (Beethoven, Mozart, Vivaldi)
Fecho os olhos... respiro e aspiro o ar, como que a absorver tão lindos acordes,
tão bela melodia... Ora frenética, ora suave...
Ergo a cabeça, nesse êxtase musical, como que águia preparando-se para alçar voo...
A minh’alma se faz uma com eles... tenho às mãos uma batuta invisível...
Com ela - a música -, e/ou elas - música e poesia.
Bach, Bethoven, Ludwing van, André Rieu, Johann Strauss... Castro Alves,
Adélia Prado, Clarice Lispector... Milhares e milhares... d’almas repletas do invisível,
do dom maior, não importa os seus conflitos existenciais, prevaleceu a essência...
São imortais!
.
.
.Visitem Esther Rogessi
Wolfgang Amadeus Mozart, Antonio Vivaldi, Maurice Ravel, Ludwig van Beethoven, Johann Sebastian Bach.

Amor - por vestivermelho

.
O verdadeiro amor é exigente, implacável e, ao mesmo tempo, infinitamente delicado.
.
.
.Comentário em Morfeu, Deus dos Sonhos & Hipnos, Deus do Sono, de Esther Rogessi.
.
.
.Visitem vestivermelho
.