Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




terça-feira, 13 de outubro de 2009

Samambaia de Plástico - por Fatinha

Querido Brógui:

Não tem escapatória: é preciso assumir que sua vida sexual é comparável à de uma samambaia de plástico quando a simples notícia de um beijo na boca causa frisson. Funciona assim:
Você começa a pensar que talvez tenha uma vida sexual de uma samambaia de plástico (e que, pra piorar, todo mundo sabe disso) quando esse pequeno acontecimento converte-se no evento mais significativo do século, digno de um relatório contando tudo tintim por tintim e depois entrando em detalhes (como diria Millôr).
O segundo passo, que lhe leva à certeza de que tem uma vida sexual de uma samambaia de plástico, é quando faz a sua narrativa escutando um foguetório de comemoração ao fundo (padrão reveillon), corinho de leleleô e o estouro de um champagne, além de saber que sua amiga vai ter que pagar uma promessa que fez. É, quando as amigas começam a fazer promessa pra você desencalhar antes do naufrágio, definitivamente você tem uma vida sexual de uma samambaia de plástico. E todo mundo sabe disso.



Visitem Fatinha
Millôr Fernandes.

Amor - por Adir Vieira

Ouço sua voz. A princípio ela vem mansa, como a concebo para mim.
Quando se aproxima, seus olhos são doces e ternos, a invadirem minha alma, exatamente como espero que devam ser todas as vezes que me olhar.
Suas mãos, na minha direção, ensaiam e dançam no ar até pousarem por sobre as minhas, com a suavidade dos gestos dos amantes, como eu quero que sejam para mim.
Seus carinhos impetuosos têm o tamanho exato e a força transformadora do meu ser, como eu desejo que seja para mim.
Seu descanso junto ao meu, bem paralelo, confirma, em câmera lenta, dessa forma, a existência e o egoísmo do amor.



Visitem Adir Vieira
.
.

Resposta - por Cacá

Tem razão. Às vezes à imposição nos é inevitável o cumprimento. Outras, dada a irrelevância de suas consequências e o desnecessário desgaste de energias todas, melhor ceder de pronto.



Resposta a As Nossas Palavras XXVII, de Alba Vieira.
.
.
.
Visitem Cacá
.
.

O Nosso Amor a Gente Inventa - por Duanny

.
.

.
.
Eu amo você porque você é maravilhoso ou você só é maravilhoso porque eu te amo?! Acho que pra você isso não tem e nunca teve importância, desconfio que você é mais uma das minhas alucinações, mas acho que você foi uma das mais realistas.

Coloquei qualidades onde não existiam... na maioria das vezes elas realmente estavam ali, mas, mesmo assim, você tinha que ser perfeito, pelo menos pra mim. Eu escondia o que não queria ver e aumentava a idealização de como você era tudo.

Me fortaleci com esperanças e ideias inexistentes, achei que poderia estar certa e talvez apostar tudo o que eu tinha ali mesmo. Você nunca percebeu o quanto era perfeito, me disseram que você também sonhava comigo, você insinuava isso o tempo todo e eu achando que poderia, sim, dar certo.

Pra falar a verdade, sem nenhuma enrolação, acho que você cansou sem antes tentar, me fez acreditar em algo que nunca existiu, pra dizer apenas “Larguei de ser besta”. Deve ter largado mesmo, você nunca me olhou como antes ou falou comigo como se fôssemos os melhores amigos do mundo. Foi aí que eu vi como a perfeição é chata e patética: você começou a me enjoar. Claro, sentia saudade - penso que sinto até hoje - de ter a melhor pessoa comigo, mesmo como amigo.

Quem sabe um dia você vai olhar pra mim e pensar: “Devia largar logo de ser besta”. Mas o amor é assim mesmo, nunca vemos defeitos e sim qualidades, na verdade podem existir os piores defeitos do mundo, que o amor dá conta de deixar as minúsculas qualidades como se fossem as mais importantes.

Todos nós idealizamos a ideia de amor perfeito, de cara perfeito e de vida perfeita, mas quer mesmo saber? Isso tudo não existe, é só uma desculpa pra esconder a ambição, a cobiça, o desejo de ter o melhor pra si mesmo.

Quem sabe um dia as pessoas aprendam a se disfarçar de perfeição.

Quem sabe um dia a vida não dependerá do poder aquisitivo.

Quem sabe um dia eu esteja certa.

Quem sabe um dia eu olhe para trás com a certeza de que tudo valeu a pena.

Quem sabe um dia você veja aquela perfeição inexistente em mim.



Visitem Duanny
.
.

12 de Outubro: Dia da Leitura - por Escrevinhadora

Domingos Pellegrini - Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século


“Hoje, além de dia de Nossa Senhora Aparecida e dia das crianças, é também o dia da leitura. Fiz questão de ler ao menos um texto novo: li o conto ‘A maior ponte do mundo’, de Domingos Pellegrini (está na coletânea ‘Os Cem Melhores Contos Brasileiros do Século’).
Me abstenho de fazer qualquer observação a respeito do dia santo e da criançada, uma vez que em relação a estes outros já deixaram registros.”



E você? Que livro leu ou está lendo?
.
.
.
.