Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




sábado, 31 de outubro de 2009

Agonia e Insight - por Ana

Entre os cínicos impropérios do destino
Sigo buscando, agoniada, meu norte.
É difícil, com a bússola viciada
Que me deu de presente a vida, sua consorte.

Tramo formas de encontrar meu rumo...
Desbravo matas densas, escalo infindáveis sendas,
Rogo aos deuses, em choro, aos brados,
Faço promessas, deito oferendas.

Qual o sentido d’eu estar aqui?
Eu pergunto, inquieta, a toda hora,
Estudo estrelas, aprendo as ciências,
Mas é ela, a dúvida, minha eterna senhora.

Então desisto, não hei-de compreender:
Este véu espesso não há pensar que corte.
E assim, quieta, eis que me ocorre:
Caberá a mim definir a minha sorte.
.

4 comentários:

uai, mundo? disse...

Ora, ora, mas a sua eternidade está materializada! Esse poema é uma obra de arte saída do mais evidente talento. Sorte? Lindo, lindo, lindo! Paz e bem.

S.Ribeiro disse...

poema muito lindo e obrigado pelo carinho. bjos!

Ana disse...

Cacá:
Elogia assim não... fico morrendo de vergonha... Ainda mais o elogio vindo de alguém que escreve tão bem!
Mas agradeço, emocionada.
Beijo.

Ana disse...

Sibilino, meu querido Sibilino:
Muito obrigada por seu elogio, muito obrigada mesmo... Eu não sou merecedora, realmente. Fico tão lisonjeada... ainda mais vim de você, que domina a escrita como ninguém!
Beijo.