Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




sábado, 31 de outubro de 2009

O Sobrevivente - por Clarice A.

Ano de 1945. O nazismo derrotado pelos aliados. Milhões de mortos. Cidades destruídas, fome, dor, a insanidade da guerra. Impossível descrever com palavras todo sofrimento, horror e crueldade que o homem impôs ao seu semelhante.
O Presidente dos Estados Unidos ordenou que o Japão fosse bombardeado com uma bomba que até então não havia sido utilizada em alvos civis ou militares, apenas em testes. Era a bomba atômica.
Dia 6 de agosto de 1945, Tsutomo Yamaguchi, um engenheiro de 29 anos, estava em Hiroshima numa viagem de negócios.
De uma base no Pacífico decolou em missão, um bombardeiro B-29 pilotado pelo coronel Paul Tibbets.
O coronel batizou o B-29 com o nome de Enola Gay em homenagem à sua mãe. Dois aviões o acompanhavam: The Great Artist e Necessary Evil como foram batizados por seus tripulantes. O primeiro transportava a bomba atômica, o segundo foi para gravar e vigiar a missão e o terceiro para fotografar e filmar a explosão. Às 8:45, Enola Gay abriu seu sinistro ventre metálico e deixou cair sobre Hiroshima Little Boy (apelido dado à bomba). Em segundos, milhares de pessoas morreram calcinadas, a área atingida pela bomba reduzida a pó. Destruição total num raio de 2,5km, construções, vegetação, tudo. O inferno na Terra. O calor da explosão com alcance bem maior, um calor intenso, provocou queimaduras horríveis nos que sobreviveram à explosão. Chuvas ácidas provocadas pela radioatividade, contaminação do solo e das águas, mulheres férteis gerando filhos afetados pela radiação por muitos anos. Efeito devastador, destruidor por muitos anos.
Tsutomo Yamaguchi contou que viu um brilho muito forte e a explosão subindo pelos ares, ficou cego por instantes e surdo de um dos ouvidos. Ferido e com queimaduras na parte superior do corpo medicou-se em Hiroshima, no que restou da cidade, e voltou para Nagasaki onde ouviam incrédulos os seus relatos.
Mas o horror ainda não havia acabado.
No dia 9 de agosto de 1945,o B-29 , batizado de Bockscar e pilotado pelo major Charles Sweeny, acompanhado por Great Artist dirige-se a outra cidade japonesa com a missão de levar mais morte e destruição, carrega a segunda bomba, mais potente. O alvo inicial era Kokura que estava coberta por nuvens. O major a sobrevoou algumas vezes mas como não melhoraram as condições de visibilidade rumou para o alvo secundário: Nagasaki. A cidade para onde retornara Yamaguchi. Às 11:02 o artilheiro do Bockstar fez contato visual com o alvo e Fat Man (apelido da segunda bomba) caiu sobre Nagasaki.
O holocausto japonês. Centenas de milhares de mortos, imolados nas duas explosões atômicas.
E Tsutomo Yamaguchi? Ele curou-se dos ferimentos, é um “hibakusha”, como são chamados os que sobrevivem à radiação. Foi reconhecido pelo governo de seu país como sobrevivente das duas bombas, estava dentro de um raio de 3 km dos locais onde elas caíram.
Tsutomo Yamaguchi, 93 anos em 2009. Sorte inacreditável? Foi uma obra de Deus, nas palavras do Sr. Yamaguchi. Para ele a causa de continuar vivo é para transmitir uma mensagem de paz. Bomba atômica nunca mais.
.
.
.

Tsutomo Yamaguchi, o homem que sobreviveu a duas explosões atômicas.
.
.

2 comentários:

uai, mundo? disse...

Belo e comovente o seu texto, Clarice. Na verdade é um lance de extremada sorte, mas que todos gostaríamos de nunca ter que relatar. Gostei muito. Abraço, paz e bem.

Ana disse...

Clarice:
Adorei o texto. Muito legal a história de vida dele.
Tá sumida, menina...
Beijos.