Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 14 de novembro de 2010

Blogagem Coletiva: Coisas do Meu Brasil - por Ninguém Envolvente

.
.
.
Estou participando com mais de 60 blogs, de uma blogagem coletiva com o intuito de mostrar nossa cultura, regionalismos e amenizar um pouco o estigma de sermos um país de Carnaval 365 dias e só sabemos falar de futebol. Não é verdade.
Temos muitos belos escritores, a comida é ótima, temos um povo que ri quando deve chorar e nossa fauna não se compara com as de outros lugares de nosso planeta. Temos sim nossas falhas no sistema, mas isso toda nação deve ter as suas.
Vamos lá.

Escrevi um texto usando nomes de livros e de escritores de nossa boa Literatura, fazendo alguns trocadilhos. Espero de coração que gostem e que eu represente bem o como temos cultura para dar e vender por pelo menos mais umas 900 mil gerações. Também quero mostrar que só é ignorante quem quer, temos um mundo de livros em nosso país e os melhores escritores.
.
.
Título: Brasil Letrado.
.
A virgem Iracema de José de Alencar, se soubesse ler, teria se apaixonado em Cinco Minutos pelo romance de Bentinho e Capitu no livro Dom Casmurro escrito com maestria por Machado de Assis.
Oswald de Andrade queria mostrar ao mundo que o Brasil também podia exportar cultura e não somente Pau Brasil, e Dona Flor deixaria seus dois maridos para ficar com Jorge Amado e ajudar na exportação de nosso melhor produto: Cultura.
Chegou A Hora da Estrela, de Clarice Lispector, que encantou até mesmo um grande homem de nossa música brasileira, Cazuza, com A Descoberta do Mundo. Minas Gerais também esteve em um livro, Vila Rica, de Cláudio Manuel da Costa, provando mais uma vez que não somente em cidades mais famosas feito o Rio de Janeiro se faz uma boa poesia.
“Nossos bosques têm mais vida e nossa vida mais amores” Ah! Se o sábia de Gonçalves Dias soubesse cantar em português... Que felicidade nos daria com seu canto tão supremo de um poema que narra perfeitamente nosso Brasil.
Castro Alves comoveu com seu Navio Negreiro, contando como os negros era tratados pior do que animais. Olavo Bilac foi um jornalista e poeta membro que fundou a Academia Brasileira de Letras e autor do Hino à Bandeira. Mário de Andrade foi o mais importante intelectual do século XX, seu primeiro livro foi Há uma Gota de Sangue em Cada Poema.
Leia nossa rica literatura, sinta a liberdade de escolher o autor que mais se encaixa com seu estilo e tenha prazer em ler na Libertinagem de Manuel Bandeira.
Uma flor nasceu na rua! Passem de longe, bondes, ônibus, rio de aço do tráfego. Uma flor ainda desbotada ilude a polícia, rompe o asfalto. Façam completo silêncio, paralisem os negócios, garanto que uma flor nasceu. Sua cor não se percebe. (...) É feia. Mas é realmente uma flor é a Rosa do Povo que Drummond de Andrade escreveu com tanto gosto.

Vinicius de Moraes não vai fazer seu riso virar pranto e espero que você propague nossos belos livros e encantos sendo infinito enquanto dure.
.
.
Encerro com: Soneto de Fidelidade

De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
.
.
.
Postado, originalmente, em 13/12/2008.
.
.
.

Um comentário:

Ana disse...

Ninguém:
Adorei! Ficou legal mesmo!
Beijo.