Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quarta-feira, 10 de junho de 2009

Glândula Pineal - por Kbçapoeta

Na acesa fantasia estou medindo,
O doce amor que sentira um dia,
No tempo que sobre asas,
Leva-me incauto ao abismo.

De lá, observa-se um turbilhão de ideias.
Alumbramentos desfigurados em visões,
Onde não está anunciado o novo mundo,
E sim, o mais puro papel em branco.

Isso mesmo!
Um papel em branco onde gesto e reação
Funcionam qual a pena, que destila letras,
Nau singrando o mar das divagações.

Em dias de ressacas suas ondas
Expõem o rochedo de minha razão,
E ri, como um infante do meu ceticismo.

Procuro acreditar nas ciências,
Nas entrelinhas do jornal.
Que galhofa!

O mar não é recipiente
Não tem forma

E eu?
Fico rochedo no fundo do mar.




Visitem Kbçapoeta
.

Um comentário:

Ana disse...

Kbça:
Que bom que você voltou! Estava sentindo falta!
Muito linda esta sua poesia, muito forte e profunda!
Adorei!
Um abraço!