Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quarta-feira, 10 de junho de 2009

Inanição - por Leo Santos

Quis impor minha força,
achei o fim do meu braço;
tentei amarrar a lua,
ela se foi, levando meu laço.
Resignei-me a ser sozinho,
e a solidão me chamou amigo;
ela não foi má companhia,
mas é úmido e sombrio, seu abrigo…

De onde a saudade é extirpada,
um afeto teve habitação;
novo alento minando lembranças,
mata aquela, de inanição.
Em outra fase, o brilho da lua,
olhares que miram o mesmo horizonte;
passos contíguos, marcam a rua,
e almas sequiosas, repousam na fonte…

Primavera fez a flor brotar,
ornando a margem do caminho;
também fez a ave voar,
levando partes do ninho.
Não mais vou cansar o braço,
agora é um lugar para repousar;
tampouco laçar a lua,
só beber, gotas de luar.



Visitem Leo Santos
.

2 comentários:

_Gio_ disse...

Solidão machuca. É um tempo bom pra rever nossa vida, nossos conceitos, nossos valores e o que esperamos de alguém. Mas nunca é fácil...

Ana disse...

Lindo, Leo,lindo!
Como sempre...