Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




sábado, 11 de julho de 2009

Refletindo - por Alba Vieira

Lagoa tranquila refletindo meu rosto
Que crispado pela dor se desfigura
Em máscara encobrindo a candura
Daquela que sofre do mundo o desgosto.

Quisera olhar agora o mar revolto
Levando para longe o desespero
De quem na vida experimenta o desterro
Por sentir-se ainda parte desse mundo louco.



Poesia cujos título e primeiro verso foram utilizados para a versão coletiva Refletindo - As Nossas Poesias XVI.
.
.
.
Visitem Alba Vieira
.

2 comentários:

Ana disse...

Gostei, Alba!
Beijo.

Luiz de Almeida Neto disse...

ANÁLISE LITERÁRIA

Obra interessante essa do Asa de Águia. Vasta em sabedoria e aplicação de princpios. Começamos sua análise destacando um trecho de suas composições.
"A dança da tartaruga, a dança da tartaruga
A dança da tartaruga, da tartaruga meu amor
A dança da tartaruga, a dança da tartaruga
A dança da tartaruga, da tartaruga me balançou
No swing da tartaruga, no swing da tartaruga
No swing da tartaruga, da tartaruga vem meu bem
No swing da tartaruga, no swing da tartaruga
No swing da tartaruga, da tartaruga eu vou me dar bem
Tchuca você foi meu grande amor, hei!
Sempre que eu me lembro de você
Bate forte uma saudade pois agente ainda se ama
Quero amar você e ser feliz, hei!
Viva nosso jeito de viver
Só uma tartaruga fica esperando o seu bem querer
A dança da tartaruga ioio
A dança da tartaruga iaia
A dança da tartaruga
Eu não consigo viver longe de você
A dança da tartaruga ioio
A dança da tartaruga iaia
A dança tartaruga
Ainda te vejo numa tela de cinema"


No texto em apreço o autor descreve com detalhes um provável romance com um ser vivo, comumente designado como "tartaruga", mas que ele carinhosamente, ao descrever sua relação com o animal, chama carinhosamente de "Tchuca". É uma poesia rica em detalhes sobre o "Swing" da espécie que ele está a analisar. Depois, ao analisar psicologicamente as tartarugas, o autor consegue constatar que "Só uma tartaruga fica esperando o seu bem querer".
Por fim, em um tipo de catarse elevada o poeta ainda deixa transparecer levemente suas aspirações quanto ao futuro do ser amado, ao dizer que ainda espera vê-lo em uma tela de cinema, demonstrando claramente sua esperança de que a tartaruga querida atinja o estrelato.