Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quarta-feira, 12 de agosto de 2009

A Vida - por Thiago de Sá

Ainda que se passem anos o homem não aprenderá o valor que a própria vida tem. Nós nos esquecemos da grande missão que recebemos de cuidar de quem esta a nossa volta. É espantoso como esquecemos. Durante o dia vivemos uma louca insanidade, que desequilibra o racional. Cometemos atos que um dia foram imaginados como absurdos e hoje são considerados normais. Ficamos habituados com a violência, com preconceito, com desrespeito e tantas outras coisas que atingem a sociedade. Que de passagem seja dito, se considera como civilizada. Que civilização é essa que se destrói diariamente, enchendo todo um povo com desamor, com rancor… Com ódio? O que ainda me conforta é que existem pessoas que nadam contra essa corrente e acabam nos mostrando que podemos mudar. Basta imaginarmos que mudar tem uma fórmula bem simples, que passa por alguns passos.
Consideraríamos como primeiro o de olhar pra si mesmo, se enfrentar. Existe um grande medo de encontra-se consigo. Escondemos esse encontro atrás das drogas, do álcool, do sexo e de tantos outros esconderijos! Acredito que o ser humano deveria ser preparado para esse encontro, uma preparação que mostra que a vida não é feita apenas de vitórias, mas que a verdadeira experiência só se alcança nas derrotas. Estamos sendo acostumados a ter tudo fácil demais. E quando não conseguimos, aumentamos o quadro de estatísticas onde se afirma que a depressão é a doença do século.
Três coisas que nos destroem: Ter, Poder e Prazer. Para Ter eu mato, devasto, Arraso. Para Poder eu humilho, menosprezo, excluo. Gosto de lembrar que todos vão para o mesmo canto. Todos usamos o banheiro da mesma maneira. Ter Poder em mãos não te dá o direito de ser cruel! Para ter Prazer causo dores que médico nenhum é capaz de remediar, passo por cima de sentimentos que deveriam ser lindos, mas hoje são banais. Chegamos até a nos vender por poucos trocados, no modo literal e metafórico da palavra.



.

3 comentários:

Thiago de Sá disse...

Espero que gostem. Já tem um tempo que escrevi. Abraço.

Ana disse...

Olha, Thiago, você pode até ter escrito há algum tempo, mas a mensagem é atualíssima!
Parabéns! Muito bom!
Um abraço!

Thiago de Sá disse...

Obrigado Ana.
Fico feliz pela sua visita.
Abraço!