Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 16 de agosto de 2009

Duelochat - por Gio e Ana

(Estrofes de Gio em letra normal, estrofes de Ana em itálico.)
.
.
.
Opa! Cheguei do ensaio animado
Eu até ganhei carona
Já estou a postos, pena afiada
E pés bem postos na lona


Boa noite, companheiros!
Grande povo do Duelos!
Estou aqui pra duelar
Em embate ético e belo.

Quem será que está aqui?
O Gio do lanche está vindo...
Você taí, Escrevinha?
Luiz, Clarice, shintolindo?

Fatinha, Ninguém, Mellon?
Adir, Bruno, Lumena?
Tá preparado, meu povo?
A luta não vai ser amena!

(Mas antes digo aqui
Que adorei Parmegiana!
Tão linda, emocionei...
Só rimas com “gio” e “ana”...)


Que bom que tu gostou!
Temia que tu nem tivesse lido
Eu sei que o nosso embate começou
Mas nem por isso eu virei bandido

A gente ainda é a dupla mais
Puxa-saco e irreverente do pedaço
Não deixamos nem o Shintoni em paz
O Gio dos Pampas e a Ana do Cangaço)

Boa noite, chefe!
Estamos eu e a menina
Dispensando qualquer blefe
Sendo pura adrenalina!


Já tô pronta pro duelo
Adversário, pode vir.
Trazendo o seu punhal
Pra cometer harakiri.


Boa noite, guerreira menina
Hora de começar o carnaval
Tiro logo a “batina”
No maior estilo Kung Lao


Que coisa escalafobética!
Entre o bem e o mal reveza.
Que monge falsificado!
Nem ajoelha, nem reza.


Nada disso, minha cara!
Jogo apenas de um lado
Olhe bem pra minha cara:
Meu duelo é Sagrado


*Comentário do Gio sobre o poema Parmegiana*


Ô Gio, olha o golpe baixo!
Não fale mais destes versos!
Senão fico emocionada,
Paro o duelo e converso.


É mesmo, melhor deixar quieto
Senão vira babação de ovo
(Juro, não foi golpe indireto...)
Agora, é animar o povo!


Já que temos plateia
(Já vimos que tem gente aqui),
Eu prometo diversão
E passo a palavra ao guri.


O nosso Duelo de estreia
Tem muita gente, logo vi
Tem realeza, tem plebeia
O show devemos garantir!


Isso eu garanto mesmo!
Eu vim aqui fazer isso.
Então eu parto pra luta
Tu sai daqui um chouriço.


Chouriço? Isso dá fome!
Não me desvia a atenção!
Você não é “cabra homi”
Mas vai se estatelar no chão


Mas que marmanjo folgado!
Que fedelho insolente!
Vou te quebrar os dedos,
Arrancar dente por dente.


Se me quebrares os dentes
Tudo bem, ponho dentadura
Mas meus golpes, menina valente
Deformam e isso não tem cura...


É?!!!! Como já te disse,
Eu tô sem nenhuma marca.
E hoje, não tenha dúvida,
Com certeza tu embarca.


Para levar tanta porrada
E não sentir, está leprosa
Apanha feito condenada
E se acha a vitoriosa...


Menino, tu fica quieto!
Sossegue e não me provoque!
Eu sou da terra dos elfos
E tu não passa de um orc.


Agora me vem falando
De jogo de tabuleiro
Devia, se está apanhando,
Tentar se defender primeiro!


Que jogo de tabuleiro...
Tô lendo “O Senhor dos Anéis”.
Cê já deve estar com sono:
Vai dormir com as cascavéis!


Sono não, estou com fome
(Pipoqueiro, tem troco pra dez?)
Não irei dormir com seus clones
Peçonhentamente fiéis


Quem disse que sou cascavel?
Haja paciência, haja!
Já disse que sou poderosa!
Meu codinome: Anaja!


Gostar de ser chamada cobra
É prova de sua maldade
E seus tropeços são obras
Da sua grande vaidade


Olha aqui, ô maritaca:
Fica quieto no teu canto.
Treme todo e não ataca,
Até agora, só pranto...


Fico no canto ou ataco?
Decida e não faça alarde!
Isso aí me cheira tanto
A desculpas de uma covarde...


Como é, dragão de Komodo?!!!
Seu réptil degenerado!
Eu te expulso dos pampas,
Te mando lá pro cerrado.


Dragão de Komodo eu não sou
Escovo bem os meus dentinhos
Mas mexeu comigo, dançou
Toda flor tem seus espinhos


Tu pensa que tenho medo?
Isso em mim existe não
Porque aqui, no duelo,
Sou São Jorge, tu é o dragão


Se sou dragão, cuspo fogo
E derreto a sua espada
Acabo logo com esse jogo
Tu sai fugindo em disparada!


Bicho mais que peçonhento,
Faz as trouxas e vai embora.
Aqui não dá mais pra ti:
Já chegou a tua hora.


Você é desaforada
E quer que eu vá me despedir?
Ou, então, ficou despeitada
E, medrosa, me incita a fugir?


Se eu fosse você ia indo:
A coisa aqui não tá boa.
Vai rimar pras tuas sapas,
Seu Menestrel das Lagoas.


Tenho cara de zoológico
Pra comportar tantos animais?
Tu morres de medo, é lógico
Quer que eu saia, pois pra ti não dá mais


Já te disse da outra vez:
Vai rimar pras tuas sapas.
Rima pra mim, tá ferrado,
De minha fúria não escapa.


Tua fúria? Que piada
Isso mais parece chilique
De quem tá estoporada
No chão, tendo tremelique


Tremelique tem é tu,
Sapo-rei da charcaria.
Vai assistir à Globo.
Para de escrever porcaria.


Porcaria é a Globo
Coisa que eu não assisto
Rápido como um lobo
Te bato até deixar cisto


De mim tu não passa nem perto!
Como vai me deixar cisto?
Anda, cai logo fora,
Antes que fique esquisito.


Eu passo, eu bato, eu volto
E, pobre, tu nem nota
Vai te bater a revolta
Ao sentires a dor na capota


Vê lá se eu tenho capota!
Não sô carro conversível!
A coisa pra tu tá maus!
Tá queimado um teu fusível!


Fusível eu não tenho
Já disse, só tenho diodo
Melhor demonstrar mais empenho
Ou vais ficar do tamanho do Frodo!


O que tem o tamanho do Frodo?
Concorda comigo todo o fórum:
Pior ser que nem você,
Que tem a cara do Gollum.


E você, na prepotência
Me diz isso com toda a aspereza
(Depois mulher preza inteligência
E, sei, nem liga pra beleza...)


Senti a sua ironia.
Agora esquenta a rinha!
Por acaso tá achando
Que eu sou tipo patricinha?


Chame-se do jeito que quiser
Mas, na próxima vez, pensa...
Em um duelo, seja ele qualquer,
Ser feio não faz diferença


Mas aí você se engana...
Você não se diz tão esperto?
Tu tem a cara do Gollum
De tanto que eu te acerto.


*Ana, tu tá vendo muito Rocky...
E fala demais,
pra quem tá em estado de choque.*


Quem está em estado de choque?
Chocado aqui tá você:
Já tá misturando as ideias...
“CHAMA O SOCORRO PRA ATENDER!!!”


Se isso fosse verdade
Até faria sentido
Pena pra você, na verdade
Seu rosto é que está bipartido!


O rosto tá bipartido?
Que ideia alucinada...
O choque foi sério mesmo!
Exagerei na cacetada!


É claro que estou chocado
Olhe a cena que se vê:
Você, com seu corpo atirado
Implorando pra se render


Continua delirando...
Tô ficando preocupada...
Shintoni, o que fazer?
Socorre o meu camarada!


Se for esse o caso,
Eis aqui minha mão estendida
Levanto-te, não faço caso
A honra aos dois é merecida

Aninha, o papo tá bom
Mas eu tô morrendo de fome
E agora que o povo vazou
Tamos dispensados, Shintoni?


Melhor mesmo dispensar...
Tá ficando perigoso...
A fome tá dando delírio...
Que troço mais cavernoso...

Eu já vou te liberando,
Vai correndo lá jantar!
Mas antes te digo, amigo,
Que adorei duelar!


E, lutador nessa terra,
Como a gente, não há igual
Nessa hora, o povo berra
“Essa dupla é maioral!”
.
.
.
Primeiro combate ao vivo entre a Samurai e o Monge (Ana e Gio)
que aconteceu no chat do Duelos, no dia 13/08/09, com início às 22h30min,
com as presenças de Clarice, Fatinha, Escrevinhadora, ju,
Luiz de Almeida Neto, Ninguém Envolvente e pecoço
na plateia explicitamente animada e espetacularmente hilária.
.
.
.
Recado de shintoni
Agradeço imensamente aos oponentes pelo brilhante duelo,
à torcida, pelo incrível show dos intervalos,
e a quem assistiu ao espetáculo em surdina.
J. R. R. Tolkien

2 comentários:

S.Ribeiro disse...

Ana. hilário deveras! Obrigado beijos!

Ana disse...

Né mesmo, Sibilino?
Beijo.