Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Chega Desse Angu de Caroço... - por Ana

Gio, o que tá acontecendo?
Que bicho que te mordeu?
Eu não tô entendendo nada!
(Que aula que tu perdeu?)

Me xinga o tempo todo!
Haja nome de animal!
Depois vem, na caradura,
Me dizer: “Não foi por mal...”

Só diz que invento coisa,
Que não lido com a verdade.
Nesta história, meu querido,
Falta a você honestidade.

Já me chamou de naja,
De LADRA e de GALINHA!!!!!
De ET e predadora!
Quem foi que saiu da linha?

Eu te refresco a memória,
Já que a coisa aí tá feia
(prefiro apostar na amnésia,
porque calúnia, meu caro, é cadeia!).

Me ofendeu diversas vezes
E aqui eu vou mostrar,
Vou dar só pequena prova
Do que eu tenho que aturar:

Já me chamou de louca,
Ardilosa, cega, abatida,
Cachorra, cascavel, covarde,
Decrépita, convencida,

Já disse que eu cacarejo,
Que eu tava com a boca inchada,
Que tenho cérebro pifado,
Sou cegueta, desatinada,

Virei comida de passarinho,
Decadente, debochada,
Delirante, desonesta,
Égua, hesitante, condenada,

Hipócrita, incapaz,
Incoerente, infernal,
Maligna, marciana,
Me acusou de “glicose anal”,

Escabronha (Que raio é isso?
Por acaso é palavrão?),
Insolente, irriquieta,
Maritaca (Né mole, não!),

Bebum em delirium tremens,
Leprosa, debilitada,
Exibicionista, isolada,
Fora da real, derrotada,

Disse que não me enxergo,
Sou medrosa, desaforada,
Eriçada, desrespeitosa,
Ogra, mentalmente afetada,

Palhaça, pária, ofídia,
Perversa, descerebrada,
Podre, rato, psicótica,
Mequetrefe, desesperada,

Fui rimeira maltrapilha,
Prepotente, despeitada,
Torresmo, vaidosa, sem fibra,
Vigarista, soterrada,

Disse “vai virar chouriço”,
Me chamou de mentirosa,
Esclerosada, metida,
Desmoronada, venenosa,

Desfiada, embriagada,
Desmemoriada, velha,
Pirracenta, apelativa,
Estoporada, escaravelha,

Me acusou de “prosa flácida”,
Virei proteína, pustulenta,
Sucuri com escoburto,
Tortuosa, peçonhenta...


Depois disso tudo, ô, garoto!
Tu toma vergonha na cara!
Para de choramingar,
Veste a saia de monge e... rala!

Ao invés de me acusar
De atos que não cometi,
Assume logo a derrota.
Enquanto pode, diz: “Perdi...”

Porque a cada agressão
Eu respondi. Triunfal!
Até com som ambiente
E vídeo da vida animal!

Portanto, invejoso vencido,
Não inventa mais história!
Assume logo de uma vez:
Tá se roendo com a minha glória!

Fica se vitimizando...
Chama a isso duelar?
Corre pro colo da mãe,
Só ela pra te aturar...

Mas por enquanto, fradinho,
Por tanta reclamação
(Sem chamar a Escrevinha,
O juiz ou o escrivão),

Eu te exilo nas masmorras
Pra acabar com este alvoroço.
Já cansei das tuas queixas!
Se esgoela aí no calabouço!
.
.
.
.
.
.
Resposta a todas as infindáveis lamúrias de Gio em A Samurai x O Monge.
.

Nenhum comentário: