Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




segunda-feira, 13 de julho de 2009

De Orelha em Pé... - por Ana

O Duelos né mole, não!
Às vezes entendo é nada!
É como já disse antes:
Num dia flor, no outro pedrada!

Eu ando desconfiada
De que há algo errado comigo...
Recebo o que não espero
De quem considero amigo.

Agora sofri ameaça
De baita lesão corporal.
Fiquei pasma, boquiaberta,
Desacreditei total

Daquilo que estava lendo
Na caixinha da amizade
Em que se põe comentários
Embrulhados em bondade.

Mas tal de Gio, o gaúcho,
Gente!, pegou de surpresa!
Deixou um recado assim:
“Vou te dar tapa nas orelhas!”

Isso porque achou
Que eu me inferiorizei
Quando disse à Escrevinha
Que cozinhar eu não sei.

Talvez por ter dito também
Que meu dom pra versejar
É menor do que o dele
(Do Gio, poeta exemplar).

Pra que fui elogiar?
Pra que falar a verdade?
Levei tapa nas orêia
Sem a menor piedade!

Escrevinha, minha amiga!
Tu já me salvou uma vez!
Que recurso legal cabe
Contra o que o moço fez?

Sou uma donzela tão frágil
E pobre rabiscadora...
Eu não sei me defender...
Me socorre, Escrevinhadora!

Sou menos que um micróbio,
Menos que vírus, poeira,
Sou um nada, uma miséria,
Íon de pingo na cachoeira,

Sou um verme amarronzado,
Nojento, embaixo da terra;
Menos que pulga, carrapato,
Aquela que tenta e só erra.

Sou sombra na escuridão,
Lazarenta sem bandagem,
Valho menos que um cão,
Tão feia e sem maquiagem.

Sou apenas resto humano,
Burra, idiota e afins,
Com joanetes, verrugas,
Sou mesmo um troço ruim!

E eu não me inferiorizo,
Eu lido é com a verdade!
Tenho culpa de ser tudo isso?
Ter tanta dificuldade?

Aí vem um comentário
E eu fico a ver navio
De guerra, lá no horizonte,
Só porque fiz eloGio...



Resposta a comentário de Gio em Escrevinhadoce, de Ana.
Referências: Vaia para Ana, de Escrevinhadora;
Das Flores às Pedradas, de Ana;
Livre, Intrigada e Vingada, de Ana;
Escrevinhadoce, de Ana;
Resposta, de Escrevinhadora;
A Verdade a Ver Navios, de Gio.
.

6 comentários:

finityster disse...

Ana,
Você é fantástica! Realmente!
Só não concordo com os elogios que fez a si mesma!
bjs,
Diza

_Gio_ disse...

Huahuhauhauahuahuahuahauhauahuhauhauhauhauhauha

E depois vem me dizer que é ruim nos versos? Só pode tar brincando!

escrevinhadora disse...

Desagravo

Ana, que rapaz atrevido
ameçando uma senhora!
Será que ele é mesmo capaz
de cumprir o prometido?

Sendo consumada a lesão
a pena prevista é prisão
mas a justiça demora...

Se você confia em mim
proponho resolvermos assim:
vamos todas nos vingar
nada de bom-bocado
nem brigadeiro ou quindim
vamos atacar sem dó.

Pra ele vamos preparar
só as receitas de amargar
todas as comidas feitas
por quem não sabe cozinhar
guisado de quiabo e giló
torta de inhame com banana
sopa de nabo com bardana.

Eu garanto, posso apostar
que ele vai se arrepender
em vez de tapa na orelha
vai te enviar rosas vermelhas
pedindo pra você perdoar.

Ana disse...

Diza:
Eu não tenho verrugas nem joanetes (AINDA BEM!!!!!!), nem me sinto tudo isso... São implicâncias com Gio.
Mas agradeço por ter vindo em minha defesa, mesmo contra mim.
Quanto ao elogio, agradeço, mais uma vez, emocionada!
Beijos.

Ana disse...

Bem, Gio, ruim, ruim, não sou... e até que de vez em quando sai alguma coisa maiomeno.
rsrsrs
Agora falando sério, agradeço pela oportunidade de duelar. Tava sentindo falta, pois a minha rival sumiu. A gente devia fazer isso mais vezes.
Beijo.

Ana disse...

Escrevinha:
Nem sei o que dizer... tô mocionadíssima!!!! Mas vou dizer algo em breve, pode ter certeza!
Por ora, fico em thanks, thanks, thanks, thanks. BUÁÁÁÁ!!!