Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




terça-feira, 30 de junho de 2009

Vergílio Ferreira e a Nossa Morte - Citado por Penélope Charmosa

O que mais me intriga e dói na nossa morte, como vemos na dos outros, é que nada se perturba com ela na vida normal do mundo. Mesmo que sejas uma personagem histórica, tudo entra de novo na rotina como se nem tivesses existido. O que mais podem fazer-te é tomar nota do acontecimento e recomeçar. Quando morre um teu amigo ou conhecido, a vida continua natural como se quem existisse para morrer fosses só tu. Porque tudo converge para ti, em quem tudo existe, e assim te inquieta a certeza de que o universo morrerá contigo. Mas não morre. Repara no que acontece com a morte dos outros e ficas a saber que o universo se está nas tintas para que morras ou não. E isso é que é incompreensível - morrer tudo com a tua morte e tudo ficar perfeitamente na mesma. Tudo isto tem significado para o teu presente. Mas recua duzentos anos e verás que nada disto tem já significado.



In “Escrever”.
.

2 comentários:

Adir disse...

Penélope,
Texto profundo!
Estava pensando nisso ontem, assistindo toda a parafernália sobre a morte do Michael Jackson.
De repente, como se nada houvesse acontecido, está lá ele esperando para ser enterrado e tudo à volta, bombando em mídia acerca da herança, se houver!
Amei sua reflexão!
bjs,
Adir(queroquevoceleia)

Ana disse...

Pois é, Adir! A gente se acha grande coisa, mas basta dar uma afastadinha básica de algumas décadas e a gente vê, com clareza absoluta, que não se é nada...
Beijo.