Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Doente... - por Flavio Braga

- Senhor Flavio, tenho boas notícias.
- O que houve, doutor, vocês mudaram meu sexo?
- Quê?
- Desculpa, doutor, estou brincando. Acho que esses remédios estão me deixando meio chapado. A propósito, meu amigo Ringo te mandou um alô.
- Quem é Ringo?
- Você não conhece, é meu amigo invisível. Ele é um elefante rosa botafoguense que se comunica comigo falando javanês.
- Estou espantado.
- Com o quê, doutor? Com minha fluência em javanês ou por eu ser amigo de um elefante rosa?
- Não, por ele ser botafoguense.
- E anarquista! Elefante rosa botafoguense E anarquista! Acredita? Esse Ringo é mesmo uma figura!
- Sei... Bem, como ia dizendo, tenho boas notícias para o senhor. Como a operação é de rotina e o tempo de recuperação é curto, amanhã você pode voltar para casa e dentro de dois dias você pode voltar ao trabalho.
- Estou decepcionado...
- Por quê?
- Eu pensei que vocês iam me dar um pouco mais de tempo para me recuperar, coisa pouca, tipo uns seis meses.
- Hum... Entendo.
- Sabe como é, preciso de umas férias. Doutor, posso te perguntar uma coisa?
- Claro.
- É uma coisa que vou perguntar e preciso ser forte o suficiente para poder escutar a resposta, que pode acabar com todo o sentido da minha vida. Deixa eu respirar. Preciso ser forte para aguentar a resposta, talvez eu nunca suportei escutar de alguém algo tão sincero, mas preciso que o senhor não minta para mim.
- Tudo bem, diga.
- Doutor, antes de ser mandado para casa, uma enfermeira morena, com quadris fartos e sedenta por sexo selvagem com o primeiro paciente que apareça na sua frente, que por coincidência, sou eu, vai me dar banho?
- Hum... Talvez.
- Legal! Espero não ter exigido muito.
- Não, que é isso! Boa noite, Flavio, volto aqui amanhã de manhã.
- Tudo bem, doutor. Doutor?
- Sim?
- Liga não, é tudo brincadeira. Serve uma enfermeira loira.
.
.
.
Visitem Flavio Braga
.

Nenhum comentário: