Bem-vindo ao Duelos!
Valeu a visita!
Deixe seu comentário!
Um grande abraço a todos!
(Aviso: Os textos em amarelo pertencem à categoria
Eróticos.)




domingo, 3 de março de 2013

Vai Entender... - por Vicenzo Raphaello (Erótico)

Toca o telefone
Alô.
É você!!!!
Ele reconhece aquela voz, há tempo que não a escutava, da última vez mostrara-se um trapalhão, a assustara, esquecia-se com frequência da idade e agia impulsivamente como se jovem fosse ainda.
Gestos de carinho e genuína amizade ela manifestara muitas vezes, ele como um primata confundiu como uma insinuação, uma promessa, respondendo por aí, acabou com uma relação de amizade cara a ele.
Aquele comportamento da juventude não o abandona, a sedução sempre foi-lhe fácil, mas agora abstrai-se da realidade da sua aparência, esquecendo que muitos anos já vivera, e que o espaço de tempo que o separa daquilo que deseja é maior do que pode sua vontade.
Fora ridículo.
Quanto tempo, sinto saudades.
Pois é, tenho trabalhado muito, não me sobra muito tempo.
Desculpa esfarrapada pensa ele, pra uma ligação tempo não falta.
E aí?
Preciso da sua ajuda, dá pra vir aqui?
Claro, responde, não perguntando para quê, já que qualquer motivo era suficiente para vê-la.
Amanhã, tá?
Claro, passo aí.
Pela manhã faz a barba, coisa que fazia vez ou outra, arruma-se com um pouco mais de cuidado, em frente ao espelho tenta encolher a barriga que já não encolhe mais.
Vai para o encontro.
Que bom que você veio disse ela beijando-lhe o rosto.
Qual é o problema, menina?
Sentados junto a uma mesa, ela fala dum assunto que não o interessa, olha aquele rosto, uma mecha de cabelo desprende-se do penteado arrumado, com os dedos ele atreve-se a arrumá-lo como doutras vezes já fizera.
Ela olha-o desviando a atenção dos documentos sobre a mesa, deixa cair o lápis sobre sua calça, sua mão num gesto rápido tenta pegá-lo, mas pega a ele, a princípio tímida, mas firme depois. Não larga.
Surpreso, excitado ele se avoluma, olhando aquele rosto das suas fantasias, enrubescido pela audácia, beija-o.
Sonhei com isto, diz num sussurro.
Ela curva o corpo em direção ao seu colo, desabotoa a calça lentamente, sua boca envolve o sexo que aparece entre o tecido, iniciando carinhosa massagem.
Ele segurando seus cabelos, movimentando-os no ritmo que lhe agrada.
Cerra os olhos e pensa, ela queria.
.

Nenhum comentário: